0

Ao menos 30 mortos em ataque contra centro comercial de Nairóbi

21 set 2013
14h58
atualizado às 15h23

Ao menos 30 pessoas morreram e 60 ficaram feridas neste sábado em um ataque cometido por homens armados em um centro comercial de Nairóbi, onde tomaram clientes como reféns, informou a polícia.

"O balanço é de 30 mortos e 60 feridos. Isso inclui as pessoas que morreram no local e as que faleceram no hospital", indicou um funcionário de alto escalão da polícia.

Um grupo armado e encapuzado invadiu o centro comercial Westgate Mall, um dos mais luxuosos de Nairóbi, cuja clientela é formada principalmente por quenianos ricos e estrangeiros.

Os criminosos dispararam e lançaram granadas contra a clientela cosmopolita - composta por africanos, indianos e ocidentais - e contra os funcionários do shopping.

Unidades de elite do exército queniano foram mobilizadas para reforçar as forças policiais no local e ajudar na retirada dos clientes e dos funcionários do centro comercial, que era sobrevoado por helicópteros.

Segundo uma fonte de segurança, policiais e soldados quenianos conseguiram isolar e encurralar os sobreviventes do grupo armado dentro do centro comercial.

"Os criminosos foram isolados e estão encurralados em uma área em um dos andares. O resto do shopping parece estar seguro", afirmou a fonte à AFP no local.

Os criminosos, que ainda não tiveram sua identidade divulgada, mas que falam em árabe ou somali, segundo testemunhas, invadiram ao meio-dia o centro comercial Westgate Mall.

Muito movimentado nos fins de semana, o local é citado regularmente como possível alvo de grupos relacionados à Al-Qaeda, como os insurgentes somalis shebab.

Este tipo de ataque é algo que nunca havia ocorrido na capital queniana e pode ser o atentado mais sangrento desde o ataque suicida da Al-Qaeda de 1998, que teve como alvo em agosto daquele ano a embaixada americana em Nairóbi e que deixou mais de 200 mortos.

"Atrás do centro comercial há 13 cadáveres, em diferentes lugares. Meus colegas que estavam nos andares superiores dizem que há mais cadáveres, mas eu vi 13", havia declarado à AFP um funcionário policial no local.

Uma jornalista da AFP-TV viu três cadáveres em frente ao shopping e dois em seu interior. Feridos e ensanguentados, pais com seus filhos nos braços, assustados e nervosos, saíam em desespero do edifício de quatro andares.

As forças de segurança avançavam loja por loja para retirar as pessoas escondidas e buscar os homens armados, mascarados e vestidos de preto, segundo as testemunhas, que tinham em seu poder sete reféns.

"São sete reféns, está confirmado", havia declarado à AFP um policial no local.

Mas o número de reféns pode ser maior, devido à quantidade de pessoas que estavam no local durante o ataque e pela extensão do centro comercial.

O Westgate Mall é um labirinto de lojas de todo o tipo, onde é muito fácil se esconder.

Segundo uma testemunha, os criminosos executaram clientes.

Este centro comercial, aberto em 2007 e próximo à sede local das Nações Unidas, tem restaurantes, cafés, bancos, um grande supermercado e várias salas de cinema que atraem milhares de pessoas todos os dias.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
publicidade