0

Aiatolá iraniano alerta para possível guerra civil no Egito

9 ago 2013
06h40
atualizado às 06h44
  • separator
  • 0
  • comentários

O guia supremo iraniano, o aiatolá Ali Khamenei, alertou nesta sexta-feira para uma possível guerra civil no Egito durante um discurso divulgado ao vivo pela rede de televisão estatal por ocasião da festa do Eid al-Fitr, que marca o fim do Ramadã.

"Ficamos inquietos com o que ocorre no Egito. A possibilidade de uma guerra civil se reforça a cada dia (...) Isto é uma catástrofe", declarou Khamenei. Desde 30 de junho, data da deposição por parte do exército do presidente egípcio Mohamed Mursi, membro da Irmandade Muçulmana, o Egito atravessa uma grave crise política.

Khamenei também condenou "o massacre da população e a utilização da linguagem da força por parte dos grupos populares, uns contra os outros", ao mesmo tempo em que alertou para a ingerência de países estrangeiros. "Se a guerra civil começar, nada poderá detê-los", acrescentou.

Irã e Egito não têm relações diplomáticas há mais de 30 anos devido ao acordo de paz assinado entre Egito e Israel. A deposição do ex-presidente Hosni Mubarak não permitiu renovar as relações diplomáticas.

Em seu discurso por ocasião do Eid al-Fitr, o guia supremo também condenou as negociações de paz entre Israel e os palestinos, ao estimar que serão feitas em detrimento dos palestinos.

Após anos de bloqueio e mais de seis décadas de conflito, israelenses e palestinos reativaram no fim de julho em Washington o diálogo sob os auspícios do secretário americano de Estado, John Kerry.

"Estas negociações terminarão em um retrocesso dos direitos dos palestinos e encorajarão os agressores a realizar mais agressões e a reprimir as justas lutas dos palestinos", declarou Khamenei.

"O mundo islâmico deve (...) condenar a ação usurpadora dos lobos selvagens sionistas e de seus protetores", acrescentou. O Irã não reconhece o Estado de Israel e os líderes iranianos, em especial o aiatolá Khamenei, declararam em diversas ocasiões que o Estado hebreu iria sumir do mapa.

AFP Todos os direitos de reprodução e representação reservados. 
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade