0

Mortes pela gripe suína sobem para 33 em Goiás

23 set 2009
15h32
atualizado às 15h59

O número de mortes em Goiás por causa da gripe suína aumentou de 25 para 33 em uma semana, de acordo com balanço divulgado nesta quarta-feira pela Secretaria Estadual de Saúde (SES).

» Veja que cuidados tomar com a gripe suína
» Micareta em Goiânia vai ter "caçador de gripados"
» RS confirma mais 5 mortes por gripe suína; Estado tem 183
» SC confirma mais 17 mortes por gripe suína

Ao todo, são 139 casos confirmados da doença em 26 municípios goianos. Há uma semana, eram 117. Mais de 51% dos pacientes que tiveram diagnosticada a gripe suína são de Goiânia. Ainda há outros 220 casos suspeitos em análise, sendo que em 43 destes o paciente morreu. Para a SES, o pico da doença passou.

A superintendente de Políticas de Atendimento à Saúde da SES, Marilúcia Batista, diz que, apesar do aumento do número de casos e mortes, diretores e médicos de hospitais e postos de saúde municipais e estaduais capacitados para atender casos de gripe suína informaram que houve, nos últimos dez dias, uma redução na demanda por atendimento de pacientes com suspeita da doença.

"Como todo vírus, há um pico de número de casos e depois começa uma queda. Com o relato destes diretores e médicos, a secretaria acredita que a tendência é que nos próximos boletins essa queda seja visível nos números", disse Marilúcia.

Apesar da queda na procura por atendimento, a superintendente alerta que as recomendações feitas pela SES continuam. Entre elas, a permanência em casa de pessoas com sintomas da gripe, a suspensão de eventos com grande aglomerado de pessoas, principalmente de crianças e idosos, e a procura imediata por atendimento médico ao surgirem os primeiros sintomas.

"É um vírus que ataca rápido. Notamos que os casos mais graves são de homens jovens, entre 20 e 39 anos, que demoram mais a procurar um atendimento, por se acharem fortes", disse Marilúcia. "Por isso é fundamental que as pessoas procurem o quanto antes um médico se surgirem os sintomas da gripe."

Nos últimos sete dias, houve um acréscimo de 146 casos suspeitos sob investigação em relação ao último boletim. Isso se deve, segundo a SES, a uma maior mobilização tanto da rede de saúde pública do interior como da rede particular, que estão notificando com mais eficiência os casos ao órgão.

Apenas casos graves estão sendo notificados. Por isso, o índice de mortes é elevado (mais de 7% dos casos). Do total de casos confirmados, 81 foram hospitalizados. A maioria dos pacientes tem entre 20 e 29 anos de idade - 34% do total. Já os casos de morte se concentram no público entre 30 e 39 anos - 36%.

Outro dado que chama a atenção da SES é que a maioria dos casos confirmados é de mulheres. Dos 139 registrados, 75 são mulheres. E, destas, 20% estão grávidas.

Segundo dados divulgados na semana passada pelo Ministério da Saúde, até o momento foram registrados 899 casos fatais de gripe suína em todo o País. Segundo o balanço da Organização Mundial da Saúde, o Brasil é o país com o maior número de mortes causadas pela doença.

Fonte: Especial para Terra

compartilhe

publicidade
publicidade