PUBLICIDADE

Morre Arthur Penn, diretor de "Bonnie & Clyde"

29 set 2010 14h41
Publicidade

Arthur Penn, diretor dos filmes como "Bonnie & Clyde - Uma Rajada de Balas" (1967) morreu nesta terça-feira à noite, um dia após ter completado 88 anos, informou hoje o diário "The New York Times".

Evan Bell, amigo pessoal do cineasta durante 25 anos, disse que o cineasta ficou doente por quase um ano, mas não deu mais detalhes sobre a morte. Penn foi três vezes indicado ao Oscar de Melhor Diretor por "O Milagre de Anne Sullivan" (1962), "Bonnie & Clyde - Uma Rajada de Balas" (1967) e "Deixem-nos Viver" (1969).

Após ficar conhecido primeiro na televisão e depois na Broadway como diretor das peças "O Milagre de Anne Sullivan" e "All the Way Home", vencedoras do prêmio Tony, Penn começou na sétima arte na década de 1960, com obras caracterizadas pelos temas sociais e políticos.

Em 1962 adaptou "O Milagre de Anne Sullivan" ao cinema e o filme rendeu um Oscar de Melhor Atriz a Anne Bancroft e outro de Melhor Atriz Coadjuvante para Patty Duke.

Outro de seus primeiros filmes de sucesso foi "Caçada Humana" (1966), que contou com estrelas do porte de Marlon Brando, Robert Redford e Jane Fonda.

Mas somente no ano seguinte faria o filme pelo qual ficou eternizado: "Bonnie & Clyde - Uma Rajada de Balas", consagrado pelo inesquecível casal de bandidos protagonizados por Warren Beatty e Faye Dunaway.

Marco na cultura americana, o filme ganhou dois Oscar, de Melhor Fotografia e de Melhor Atriz Coadjuvante, para Estelle Parsons.

"Arthur Penn trouxe a sensibilidade dos filmes europeus de arte e teatro dos anos 60 ao cinema americano", disse o diretor e roteirista Paul Schrader, para quem o colega "cimentou o caminho a uma nova geração de diretores que vinham das escolas".

Em declarações recolhidas pela Agência Efe em Barcelona, em 1994, Penn disse que, em seus anos de juventude, existiam cineastas que, por terem vivido a Segunda Guerra Mundial, estavam "comprometidos política e socialmente".

Na opinião do cineasta, "não há (atualmente) nem compromisso político nem social", o que gerou, progressivamente, filmes "assombrosos tecnicamente, mas não tão completos".

Em sua trajetória como diretor, também se destaca "Pequeno Grande Homem" (1970), estrelado por Dustin Hoffman e Faye Dunaway, que narra a conquista do Oeste americano de uma ótica diferente à habitual (os índios eram os mocinhos), e "Um Lance No Escuro" (1975), com Gene Hackman no papel de um incisivo detetive particular.

Arthur Penn nasceu em 27 de setembro de 1922 na Filadélfia. Seu irmão mais velho era o reconhecido diretor de fotografia Irving Penn, falecido em outubro de 2009.

O cineasta se casou em 1955 com Peggy Maurer e teve dois filhos.

EFE   
Publicidade