1 evento ao vivo

Lula e 4 presidentes da América Latina devem ir ao FSM

24 jan 2010
12h08
atualizado em 25/1/2010 às 14h28

O Fórum Social Mundial, que começa em Porto Alegre nesta segunda-feira deverá reunir pelo menos cinco presidentes latino-americanos para comemorar os dez anos do evento que nasceu em contraponto ao Fórum Econômico Mundial de Davos e ao "neoliberalismo".

Na noite de terça-feira, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai participar de um diálogo com a sociedade civil, para comemorar os 10 anos do evento e apresentar um balanço de seus sete anos de governo às organizações ligadas ao FSM. Lula deverá receber os presidentes da Venezuela, Hugo Chávez, da Bolívia, Evo Morales, do Paraguai, Fernando Lugo, e o novo presidente uruguaio, José Pepe Mujica. O encontro acontecerá no Ginásio Gigantinho.

Aliados históricos das ideias do Fórum Social, os presidentes deverão falar para uma plateia de até 15 mil simpatizantes da proposta altermundista: de estudantes a intelectuais criadores do evento.

Para um dos criadores do Fórum, o empresário Oded Grajew, a presença de governantes não tira o "caráter apartidário" do FSM, previsto em sua Carta de Princípios.

"O quadro político mudou desde a primeira edição do Fórum em 2001. Vários frequentadores do FSM estão hoje no governo e é importante que eles continuem participando porque queremos que as propostas daqui virem políticas públicas", avalia.

Na última edição do FSM, em 2009, em Belém, Lula, Chávez, Lugo, Evo e o presidente do Equador, Rafael Correa, também fizeram uma aparição conjunta, com críticas a instituições financeiras internacionais, ao mercado e aos países ricos.

Na mesma semana, o presidente Lula vai ao Fórum Econômico Mundial, emDavos (Suíça). O presidente será o primeiro chefe de Estado a receber do Fórum Econômico o prêmio de Estadista Global, em uma homenagem marcada para a quinta-feira.

Agência Brasil Agência Brasil
publicidade