inclusão de arquivo javascript

 
 

Espanhol é barrado em debates e faz greve de fome

30 de janeiro de 2005 13h09

Manuel Fernández Herrera, um espanhol de 56 anos, afirma que entrou em greve de fome há quatro dias por não o deixarem participar dos debates do Fórum Social Mundial, em Porto Alegre.

Fernández Herrera, que diz pertencer a organizações espanholas como Ajuda em Ação e o sindicato CGT, pediu reiteradamente aos organizadores do Fórum uma permissão para fazer uma conferência e expor "algumas idéias para uma estrutura social mais justa". Estas idéias estão contidas em um livro escrito por ele e intitulado "O verdadeiro caminho para Deus".

Além de entrar em greve de fome, Fernández Herrera caminha pelas ruas com um enorme cartaz onde pode-se ler: "Não me deixam participar de uma conferência. Eu também deveria ter voz". O cartaz tem, além disso, a bandeira espanhola impressa.

O Fórum Social de Porto Alegre, que começou na quarta-feira passada e termina amanhã, conta com a participação de cerca de 130 mil pessoas vinculadas a organizações não-governamentais de todo o mundo. Durante estes seis dias, serão cerca de duas mil horas de atividades diárias, entre diálogos, debates, conferências, painéis e discussões.

EFE
EFE - Agência EFE - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização escrita da Agência EFE S/A.