inclusão de arquivo javascript

 
 

"Minha personagem 'caiu' para a comédia", diz Daniele Suzuki

19 de março de 2006 12h14 atualizado às 12h18

Daniele Suzuki vive a prostituta Yoko Bell em  Bang Bang. Foto: Luiza Dantes/TV Press

Daniele Suzuki vive a prostituta Yoko Bell em Bang Bang
Foto: Luiza Dantes/TV Press

Daniele Suzuki não tem tido vida fácil em Bang Bang. A intérprete da prostituta Yoko Bell tem sofrido com as exigências do trabalho na novela da Globo - um ritmo, segundo ela, que extrapola a correria "normal" com que a atriz já havia se acostumo na tevê. Culpa das "turbulências" que atingiram a produção, com a saída do autor Mário Prata e a entrada de Carlos Lombardi na supervisão dos textos. Essas e outras mudanças têm forçado Daniele e todo o elenco a se dedicar em tempo integral às gravações e à leitura dos roteiros.

Leia o resumo de Bang Bang

"Os capítulos chegam às três e meia da manhã e a gente tem de gravar logo no início do dia. Só dá tempo de ler rapidamente, decorar e entrar em cena", lamenta a atriz, que muitas vezes grava pela manhã a cena que vai ao ar à noite. "É como antigamente, como se fosse na época da tevê ao vivo. Mas por outro lado, isso é um grande exercício", minimiza.

Apesar do cansaço, Daniele garante que está satisfeita com o resultado de sua participação em Bang Bang. A atriz, contudo, reflete que são duas obras completamente diferentes. Ela destaca que quando era escrita por Mário Prata, a novela caminhava mais por um "universo" de fantasia. "O Lombardi entrou com uma proposta mais realista, mas sem deixar de lado o 'western' e conservando as tramas", tenta explicar.

Daniele também ressalta que aconteceram mudanças significativas com a personagem Yoko com a entrada de Carlos Lombardi. Antes, a sensual prostituta da fictícia Albuquerque era uma mulher séria e sofrida. Hoje em dia está mais determinada e durona, além de bem-humorada. "Minha personagem 'caiu' para a comédia. Agora ela é mais brincalhona", opina.

No fundo, Daniele gostou das mudanças sofridas pela Yoko em Bang Bang. Aos 28 anos de idade, atriz lembra que pela primeira vez está podendo "encarnar" uma mulher de verdade, bastante diferente da adolescente Miyuki em Malhação, que interpretou durante dois anos e meio. "Tive de abandonar todos aqueles trejeitos 'teen' e incorporar um ar sensual. Sair de uma menina e viver uma prostituta de cabaré em pleno deserto é bárbaro", valoriza.

Apesar de já estar vivendo a Yoko há cerca de cinco meses, Daniele acha que o público ainda não se desvencilhou de sua personagem em Malhação. Tanto que ao ser abordada nas ruas, os fãs elogiam o trabalho na novela, mas não se esquecem da adolescente do "folheteen". "Me dizem que a Miyuki está arrasando na novela", conta, entre risos.

Essa identificação que o público ainda faz com sua antiga personagem não desanima a atriz. Ela pretende usar a chance de estar aparecendo bem na novela das sete para ganhar mais impulso na carreira de apresentadora de tevê, função na qual passou a se interessar bastante no último ano.

Daniela passou a temporada 2005 à frente do Mandou Bem, do Multishow, onde também "atacava" de repórter. Agora a moça se prepara para estrear no mesmo canal, em meados de abril, no programa Tribos. Com algumas edições já gravadas, Daniele garante que, ao contrário do primeiro, em que realizava viagens ao redor do mundo, o novo programa tem um formato menos turístico. Com meia hora de duração, o Tribos é semanal e tenta mostrar os variados grupos de jovens das grandes cidades, que se juntam de acordo com suas preferências musicais, comportamentais e estéticas. "O programa tem um caráter mais documental, com um foco mais jornalístico. Estou adorando fazer", empolga-se.

Deixa a arte levar
Durante muito tempo, Daniele Suzuki achava que seguiria, literalmente, os passos da mãe, uma professora de balé, e seria bailarina. Ela chegou a se formar em balé clássico pelo corpo de baile do Theatro Municipal do Rio de Janeiro e trabalhou em alguns musicais, como a montagem americana Power of Imagination, da Disney, realizada em 1995, no Rio.

Paralelamente, contudo, Daniele nunca deixou de se dedicar ao teatro ¿ fez, inclusive, diversos cursos de interpretação. Mas a moça acabou dando vazão a outra paixão, pelo desenho, e decidiu fazer Desenho Industrial, na PUC do Rio, onde se formou em 2000. "Mas como os trabalhos como atriz foram surgindo um atrás do outro, não tive tempo de me dedicar", lembra.

Apesar de nunca ter exercido, Daniele garante que ainda pretende realizar alguns projetos ligados à profissão. A atriz, que nas horas vagas mantém o "hobby" da pintura, confessa que trabalhar com desenho animado, por exemplo, é um dos grandes sonhos de sua vida, apesar de ser uma área pouco explorada no Brasil. Além disso, ela também conta que gostaria de poder ter mais contato com o "universo" da moda, uma vez que já se arrisca a desenhar alguns modelitos. "Faço roupas para mim, mas meu grande desejo é poder inventar modelos para as outras pessoas vestirem", entrega.

Instantâneas
# Daniele Suzuki nasceu no dia 21 de setembro de 1977, no Rio de Janeiro.
# Daniele Suzuki estreou na tevê na novela Uga Uga, de 2000, na "pele" da jovem Sarah. A personagem era a melhor amiga de Bionda, vivida por Mariana Ximenes.
# No seriado Sandy & Júnior, da Globo, em 2002, a personagem de Daniele Suzuki também se chamava Yoko e era a namorada do cantor Júnior. "Esse nome até parece que me persegue", brinca.
# O único trabalho de Daniele Suzuki no cinema foi no americano Sabor da Paixão, de Fina Torres, de 2000, filme protagonizado pela espanhola Penélope Cruz e por Murilo Benício.
# Assim que terminar de gravar Bang Bang, Daniele Suzuki pretende visitar Portugal, terra do namorado Ricardo Pereira, que, por sinal, está trabalhando na novela Prova de Amor, da Record.
# Em 1987, Daniele Suzuki participou do comercial de lançamento da Mini-Coke, da Coca-Cola.

TV Press