inclusão de arquivo javascript

 
 

Chávez reafirma "guerra ao latifúndio" no RS

30 de janeiro de 2005 15h02 atualizado às 15h02

Chávez recebe café de menino morador de assentamento em Tapes, no RS. Foto: AP

Chávez recebe café de menino morador de assentamento em Tapes, no RS
Foto: AP

O presidente venezuelano Hugo Chávez reafirmou "sua guerra contra o latifúndio" ao visitar hoje um assentamento de sem-terra brasileiros, em Lagoa do Junco, Tapes, a cerca de 120 quilômetros de Porto Alegre. Chavez vem ao Brasil para participar do 5º Fórum Social Mundial (FSM) na capital gaúcha.

  • Especial sobre o Fórum Social
  • Veja as fotos

    O chefe de governo venezuelano pediu aos participantes no Fórum que passem à ofensiva na batalha contra o latifúndio, dotando-se de uma estratégia de poder social. Chávez, que foi convidado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST), reafirmou a decisão de seu governo quanto ao latifúndio. "O que nós declaramos é uma revolução agrária e a guerra contra o latifúndio é uma nova etapa da revolução agrária venezuelana", destacou.

    O presidente recordou que, na semana passada, o governo venezuelano expropriou cinco mil hectares de terras férteis no centro do país e espera recuperar neste ano cerca de três milhões de hectares que estão hoje sob o poder de latifundiários.

    Chávez defendeu que o Fórum devia dar um novo passo e tomar a ofensiva. "Após cinco anos de existência do Fórum Social Mundial, é tempo de declararmos uma ofensiva (...). Proponho com muita modéstia o início de uma nova etapa", declarou.

    Segundo Chávez, o Fórum deve adotar uma agenda para os próximos cinco ou seis anos. "É necessária uma agenda social mundial na qual possamos traçar uma estratégia, porque se trata de uma luta de poder para ver quem se impõe no final: o projeto da morte ou da vida", continuou.

    Durante sua visita à colônia de Lagoa do Junco, Chávez assinou com o ministro brasileiro do desenvolvimento Agrário, Miguel Rossetto, acordo de intercâmbio de sementes nativas entre Brasil e Venezuela. Para simbolizar o convênio, Chávez plantou uma árvore no assentamento sem-terra.

  • AFP
    AFP - Todos os direitos de reprodução e representação reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.
    1. Participantes do Fórum fizeram manifestação durante a visita de Chávez   Foto: Agência Brasil

      Participantes do Fórum fizeram manifestação durante a visita de Chávez

      Foto: Agência Brasil

    2. Participantes do Fórum fizeram manifestação durante a visita de Hugo Chávez  Foto: Agência Brasil

      Participantes do Fórum fizeram manifestação durante a visita de Hugo Chávez

      Foto: Agência Brasil

    3. O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, recebe café de menino de assentamento sem-terra em Tapes, a 100 quilômetros de Porto Alegre, no RS  Foto: AP

      O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, recebe café de menino de assentamento sem-terra em Tapes, a 100 quilômetros de Porto Alegre, no RS

      Foto: AP

    4. Chávez reafirmou guerra ao latifúndio em visita a assentamento em Tapes, no RS  Foto: AP

      Chávez reafirmou guerra ao latifúndio em visita a assentamento em Tapes, no RS

      Foto: AP

    5. Chávez recebeu um lenço palestino de um dos participantes do Fórum Social Mundial durante visita a assentamento em Tapes  Foto: AP

      Chávez recebeu um lenço palestino de um dos participantes do Fórum Social Mundial durante visita a assentamento em Tapes

      Foto: AP

    /especial/forumsocialmundial2005/foto/0,,00.html