inclusão de arquivo javascript

 
 

"Eu e a Zuca somos parecidas", diz Vanessa Giácomo

16 de maio de 2004 10h39

Vanessa Giácomo: Também falo o que eu penso. Foto: Globo/Divulgação

Vanessa Giácomo: "Também falo o que eu penso"
Foto: Globo/Divulgação

A atriz Vanessa Giácomo sempre gostou de seu sobrenome italiano. Acha que é sonoro, pomposo. Só recentemente veio a saber que significava "aquele que vence". A julgar pela oportunidade de protagonizar sua primeira novela aos 21 anos de idade, Vanessa venceu, pelo menos, sua primeira grande batalha.

Para interpretar a personagem-título de Cabocla, a nova novela das seis, ela desbancou outras 15 candidatas. A última vez que uma novata assumiu o papel principal de uma novela da Globo foi há 28 anos, quando Lucélia Santos protagonizou Escrava Isaura. Nem assim, Vanessa deixa transparecer qualquer sinal de nervosismo ou apreensão. "Quando entro no estúdio para gravar, não fico nem um pouquinho nervosa. É como se tudo não passasse de uma brincadeira. É como se eu e a Zuca fôssemos uma só pessoa!", exagera.

Desde que foi confirmada à frente da nova versão de Cabocla, Vanessa Giácomo passou a levar uma vida de quase reclusão. Por recomendação do próprio Ricardo Waddington, deixou de pular Carnaval, evitou dar entrevistas e já recusou participar de eventos e fazer comerciais.

Longe de reclamar das exigências do diretor, ela entende que a realização do sonho de ser atriz compensa qualquer sacrifício. "Todo início de novela é complicado mesmo. Antes de qualquer coisa, você tem de se adaptar ao ritmo das gravações. A entrega é total!", justifica. Atualmente, a rotina de Vanessa se resume a ir de casa para o trabalho e vice-versa. Quando tem uma folguinha qualquer, fica em casa para estudar os textos do dia seguinte. "Ainda não fiz o teste do shopping", brinca.

Antes de ser escalada para Cabocla, Vanessa Giácomo só havia feito participações nada especiais em Malhação, Linha Direta e Presença de Anita. No teatro, gaba-se de já ter feito de tudo um pouco: de peças infantis a commedia dell´arte. Seu trabalho predileto é Valsa Nº 6, monólogo de Nelson Rodrigues que encenou em Volta Redonda, sua cidade natal, a 110 km do Rio. "Estudei bastante para chegar até aqui", enfatiza.

Como parte das preparações para a novela, Vanessa passou 20 dias em um haras em Jacarepaguá, na Zona Oeste do Rio. Lá, teve a oportunidade de conhecer alguns atores do elenco, como Tony Ramos e Patrícia Pillar, gente que, até recentemente, ela só conhecia das novelas e das revistas. "Na hora de gravar, já estava íntima de todo mundo", ri.

Embora Vanessa seja do Rio, a sua família é de Minas. A exemplo da cabocla Zuca, ela também passou boa parte da infância e adolescência em fazenda. "Desde pequena, sempre andei a cavalo. Não sabia muito, mas já tinha uma noção", explica. Ainda assim, ela tomou um susto ao ver a cena em que aparece galopando na novela projetada num telão na coletiva de imprensa de Cabocla.

Como acontece com nove entre dez atores, Vanessa também raramente gosta do que vê. "Sempre tento melhorar da próxima vez. Essa autocrítica é que me ajuda a crescer", destaca.

Com 21 anos recém-completados, Vanessa não tinha sequer nascido quando a primeira versão da novela foi ao ar, em 1979. Mesmo assim, ela não parece nem um pouco curiosa para assistir ao trabalho de Glória Pires como Zuca, a caboclinha tímida que se apaixona por um rapaz de cidade grande. "Procuro não pensar muito nisso. Sei que ela é uma grande atriz, mas quero que a minha Zuca também seja um grande sucesso", desconversa.

Na trama de Benedito Ruy Barbosa, Zuca é a moça brejeira do interior de Minas que ajuda o pai a tomar conta do único hotel da pacata Vila do Mato. Prestes a se casar com Tobias, interpretado pelo também novato Malvino Salvador, ela começa a duvidar do que sente pelo noivo quando se apaixona por Luís Jerônimo, jovem advogado do Rio que resolve passar uns dias no campo para tratar de um princípio de tuberculose. "Eu e a Zuca somos muito parecidas. Também falo que penso e sei o que quero", valoriza.

Vanessa só não sabe ainda como vai reagir se tiver de protagonizar cenas mais ousadas com o ator Daniel de Oliveira, que interpreta o mulherengo Luís Jerônimo. "Ai, Meu Deus! Quando namorava, ficava encabulada só de beijar meu namorado na frente das pessoas...", confessa, com o mesmo jeito tímido da Zuca.

Novata de sorte
O telefonema do diretor Ricardo Waddington dizia apenas que Vanessa Giácomo faria testes para Cabocla, a nova novela das seis da Globo. No dia e hora marcados, a atriz compareceu ao Projac sem saber exatamente que papel disputaria. Quando soube que a personagem em questão era uma tal de Zuca, respirou aliviada: "Ah, ainda bem que não é para a ´cabocla´...", suspirou.

O que Vanessa não sabia, porém, é que Zuca e a "cabocla" eram a mesma pessoa. "Foi bom mesmo não saber que os testes eram para a protagonista. Se soubesse, teria ficado ainda mais nervosa", admite.

Há três anos, Vanessa vem perseguindo o sonho de virar atriz. Quando completou 18 anos, resolveu tentar a sorte no Rio em companhia da mãe, Dona Ivonete. "Minha mãe sempre me incentivou a ser artista. Ela vivia me matriculando em aulas de teatro e cursos de balé", derrama-se. Já o pai, ao contrário, sempre torceu o nariz para a decisão da filha de ganhar a vida na cidade grande. Quando soube que Vanessa moraria no Rio, quase caiu para trás. Só mudou de idéia quando a mulher se ofereceu para ir junto. "Com mamãe do lado, tudo ficou mais tranqüilo", sorri, agradecida.

Mas a vida no Rio não foi das mais fáceis. Ela perdeu a conta dos testes que fez e não passou. "Nessas horas, você se sente a pior das atrizes...", dramatiza. Até que, um dia, aceitou fazer figuração em "Malhação". Foi lá que conheceu Ricardo Waddington, atual diretor de Núcleo do "folheteen", que lembrou-se de convidá-la para participar de Cabocla. "Ser atriz é o sonho da minha vida! Todo mundo que tem um sonho tem de correr atrás dele", ensina.

Instantâneas
# O nome de Vanessa Giácomo não foi o primeiro a ser cogitado por Ricardo Waddington. A princípio, ele pensou mesmo em Cléo Pires para interpretar a personagem que, na versão original, pertenceu à sua mãe, a atriz Glória Pires.
# Ricardo Waddington confiou Vanessa Giácomo aos cuidados da "coach" Paloma Riani. Entre outros, ela foi a preparadora de Mel Lisboa em Presença de Anita, Pedro Malta em Coração de Estudante e Rafael Calomeni em Mulheres Apaixonadas.
# Desde que começou a gravar Cabocla, Vanessa teve de trancar o cursinho de inglês e abandonar as aulas de ginástica. Com 48 quilos e 1,60 m de altura, a atriz já estava começando a gostar de fazer musculação. "Queria ficar saradinha...", explica.
# Nos 20 dias que passou em um haras no Rio de Janeiro, Vanessa Giácomo aprendeu a tirar leite de vaca e a cozinhar em fogão a lenha. "Acender o fogão já era um evento", brinca. Entre os quitutes da culinária mineira, o pão de queijo é o seu preferido.

TV Press