1 evento ao vivo

Hong Kong confirma primeiro caso asiático de gripe suína

1 mai 2009
10h15
atualizado às 11h46

As autoridades de saúde de Hong Kong declararam alerta sanitário após a confirmação do primeiro caso de gripe suína no local, até agora o único na Ásia, e criaram um grupo especial para lidar com a situação.

Passageiros usam máscaras ao desembar no Aeroporto Internacional de Pudong, em Xangai
Passageiros usam máscaras ao desembar no Aeroporto Internacional de Pudong, em Xangai
Foto: AP

» Veja imagens da gripe suína pelo mundo
» Suspeitas de gripe no Brasil sobem para 4
» Veja o que é o vírus influenza Tipo A
» Tire suas dúvidas sobre a gripe suína

Um mexicano que veio da cidade chinesa de Xangai no voo 505 da empresa China Eastern ontem está infectado com o vírus da doença, disse o secretário de Alimentação e Saúde de Hong Kong, York Chow, em entrevista coletiva.

O chefe do Executivo local, Donald Tsang, anunciou na mesma entrevista a declaração do estado de emergência na saúde depois de a Universidade de Hong Kong ter confirmado o caso de gripe suína às 20h locais (9h de Brasília).

As autoridades sanitárias puseram em quarentena o hotel Metropark, onde o mexicano infectado se hospedou, e procuram o taxista que o levou ao hotel e os passageiros do voo em que chegou ao território.

O turista mexicano, que chegou a Xangai na sexta-feira em um avião da Aeroméxico, não demonstrou sintomas da doença até voar para Hong Kong.

O primeiro afetado pelo vírus A(H1N1) na Ásia está isolado no hospital Princess Margaret, junto com outros mexicanos que o acompanhavam na viagem. As autoridades de saúde do território cooperam com as de Xangai na busca de pessoas que estiveram em contato com o mexicano infectado.

Hong Kong está em alerta máximo contra a gripe suína, diante do temor de que o primeiro caso desencadeie uma epidemia no território e, possivelmente, no restante da populosa China.

Gripe Suína
Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a gripe suína é causada por uma variante do vírus influenza tipo A, que porta a designação H1N1. O órgão aumentou o nível de alerta para cinco (pandemia iminente) em uma escala que vai até seis. O temor é de que nova mutação torne os humanos incapazes de combater a doença, por falta de anticorpos.

A gripe suína teria matado mais de 150 pessoas no México, país mais afetado pelo surto, onde cerca de 2 mil pessoas estariam infectadas. No entanto, autoridades sanitárias do país confirmaram apenas 300 casos e 12 mortes relacionadas ao vírus AH1N1.

Nos EUA, até o momento foram confirmados 109 casos de pessoas com gripe suína; uma morreu. Há duas pessoas com suspeita de contaminação no Brasil, e outras 36 são monitoradas pelo Ministério da Saúde.

EFE   

compartilhe

publicidade