ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


Paraíba
Domingo, 29 de outubro de 2006, 18h56 
Cássio Cunha Lima é o governador da Paraíba
 
Divulgação
Cássio Cunha Lima venceu eleição acirrada
Cássio Cunha Lima venceu eleição acirrada
Últimas de Paraíba
» Cássio minimiza ataques de José Maranhão
» PB: José Maranhão não aceita vitória de Cássio
» Eleitor sobe 148 degraus para "pagar" vitória de candidato
» PB: Simpatizantes festejam reeleição de Cunha Lima
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O governador Cássio Cunha Lima (PSDB) foi reeleito para o governo da Paraíba com 51,35% dos votos válidos, totalizando 1.003.102 votos. O senador José Maranhão (PMDB), que disputava o segundo turno com Lima, ficou com 48,65%, ou 950.269 votos. Brancos somaram 23.981, 1,12%, e nulos, 155.244, 7,28%.

» Veja fotos da comemoração!
» Confira o perfil de Cunha Lima
» Comente a vitória de Cássio Cunha Lima

Cunha Lima venceu uma eleição que foi acirrada desde o primeiro turno, quando ele mesmo havia sido o mais votado, com uma vantagem pequena (49,67% a 48,74% dos votos válidos) sobre o rival deste domingo.

Às vésperas do segundo turno, Cunha Lima passou por uma situação constrangedora quando dois funcionários do governo foram detidos com quase R$ 43 mil em dinheiro, que supostamente seria usado para a compra de votos.

O diretor do departamento administrativo financeiro da Secretaria de Controle da Despesa Pública do governo, Gláucio Arnaud de Medeiros, 49 anos, e o Reinaldo da Silva, 51 anos, foram indiciados.

O advogado da coligação Paraíba de Futuro, rival do governador reeleito, Marcos afirmou que abriria pedido de Ação de Investigação Judicial Eleitoral para apurar o que classificou de vários crimes, entre eles corrupção e improbidade administrativa.

Por outro lado, o advogado Luciano Pires, da Coligação Por Amor à Paraíba encabeçada pelo governador Cássio Cunha Lima, disse que não via irregularidade alguma na presença do diretor Gláucio Arnaud de Medeiros no episódio da apreensão do dinheiro.

No sábado, Cunha Lima disse que o dinheiro era de origem legal e seria usado para pagar despesas regulares de campanha. No mesmo dia, a Justiça da Paraíba determinou a liberação do dinheiro apreendido por falta de provas de irregularidades.


 

Redação Terra