ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


Presidencial
Terça, 24 de outubro de 2006, 02h06  Atualizada às 02h54
Lula usa Nordeste e política externa como "trunfos"
 
Vagner Magalhães
Direto de São Paulo
 
Últimas de Presidencial
» Lula falhou na participação social, diz especialista
» Stédile diz que reeleição é "extremamente positiva"
» Lula mantém rumo da economia e Mantega na Fazenda
» Contrapartida de apoio de Maggi a Lula prevê cargos federais
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

A coordenação da campanha de reeleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva acredita ele se saiu bem no debate desta noite na Rede Record ao apresentar números dos quatro anos de seu governo, principalmente no que diz respeito à política externa e aos investimentos no Nordeste. Em especial, uma pergunta do candidato Alckmin, sobre o Nordeste, foi comemorada.

» Veja fotos do debate
» Opine sobre o 3º debate
» Confira tudo sobre o debate da Record

Alckmin usou sua última pergunta para questionar por que o governo federal teria reduzido investimentos e paralisado obras no Nordeste. A provocação fez Lula subir o tom ao dar a reposta.

O presidente afirmou o Nordeste foi prioridade em seu governo "não para fazer um favor, mas para reparar um erro histórico". Segundo ele, "o nordestino não quer ser só pedreiro, também quer ser engenheiro".

E afirmou que pode ter cometido erros na Presidência, "mas (no Nordeste) o programa de leite é do governo federal, o programa de cisternas é do governo federal".

E disse que seu adversário poderia lhe fazer outras críticas, mas que ele conhece o Nordeste "como a palma da mão". "Eu vim de lá", enfatizou Lula, relembrando episódios de sua vida.

Alckmin rebateu enumerando obras que, segundo ele, o governo federal abandonou e que pretende retomar. Entre elas a transposição do Rio São Francisco, a Transnordestina e a refinaria da Petrobras.

De acordo com o coordenador da campanha petista, Marco Aurélio Garcia, Alckmin levantou a bola para o presidente chutar de primeira.

"Fazendo uma comparação com o futebol foi isso. Um tema completamente favorável ao presidente, onde os avanços foram inquestionáveis", disse.

De acordo com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, outro tema bem explorado por Lula foi o da política externa.

"São números inquestionáveis. Quando o presidente fala no aumento das exportações e no papel adquirido pelo País no exterior, não há como negar que houve avanços."

Lula não deu entrevistas após o debate alegando estar cansado.
 

Redação Terra