ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


São Paulo
Terça, 10 de outubro de 2006, 15h21 
Ex-polegar se diz desiludido com derrota em eleição
 
Simone Sartori
Direto de São Paulo
 
Divulgação
Alan é médico oftalmologista e primeiro-tenente da Aeronáutica
Alan é médico oftalmologista e primeiro-tenente da Aeronáutica
Últimas de São Paulo
» Eleitora pede voto de volta a José Genoino
» Quinze são detidos durante eleição em SP
» SP tem maior número de urnas substituídas
» Maluf vota em São Paulo acompanhado da mulher
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O Polegar cresceu. É assim que o ex-tecladista do grupo de sucesso nos anos 80 responde às críticas sobre sua candidatura a deputado estadual pelo PP em São Paulo. "Eu não entendo por que um Polegar não pode ser deputado. Tenho orgulho da minha carreira musical, mas minha realidade hoje é outra, não sou mais um menino", reclama Alan Frank Schlang Rodrigues Alves, 33 anos.

» Veja fotos de Alan

De fato. Ele estudou Medicina, fez residência em Oftalmologia, tornou-se primeiro-tenente da Aeronáutica, casou-se e teve dois filhos (Renan, 10 anos, e Natan, 6), e, atualmente, atende seus pacientes na capital paulista e mais cinco municípios da Grande São Paulo.

Apesar da intensa rotina de trabalho, o médico se dedicou à campanha eleitoral durante três meses. A distribuição de santinhos era feita por quatro cabos eleitorais e voluntários. "E uma Kombi para tocar o jingle", conta. Alan do Polegar - nome registrado na urna eletrônica - teve 6.884 votos (0,03% do total dos votos válidos) e ocupou o 427º lugar entre 1.511 candidatos registrados. "Recebi quase o mesmo número de votos que o (ex-prefeito Celso) Pitta. Tinha uma ilusão de vencer. Fiquei muito triste porque minha campanha foi limpa e honesta", desabafa.

Críticas
Alan afirma que a realidade da rede pública de saúde motivou sua candidatura. Ele conta que, diariamente, é testemunha de histórias tristes. "Existem verdadeiros absurdos nesta área. Muitas vezes receitava colírios, mas os pacientes não usavam porque não encontravam o medicamento nos postos de saúde. Já solicitei exames que demoraram mais de um ano para serem realizados. Percebi então que não podia ficar de braços cruzados", argumenta.

Sem citar nomes, o ex-Polegar contra-ataca. "O governo investe na ignorância dos mais carentes. Quanto mais humilde, mais fácil manipular e atrair votos. Há muita corrupção", afirma.

Em contrapartida, Alan economiza críticas ao seu colega de partido Paulo Maluf, deputado federal mais votado do País e acusado em 2005 de desvio de verbas e lavagem de dinheiro. "Maluf é um caso à parte. O seu eleitor é malufista até a morte", justifica.

Futuro político
Alan confirma a intenção de se candidatar à Câmara Municipal em 2008. "Aprendi muito com esta campanha. Tive quase 7 mil votos, é muita gente! Sinto-me mais preparado para ser eleito vereador", aposta. Ele conta com os votos de fãs e pacientes.

Entre seus projetos está a criação de uma ONG para atendimento à população carente. "O objetivo principal é a prevenção de doenças oculares. Mas, se tudo der certo, quero realizar cirurgias contra catarata".

Indagado sobre uma possível volta do Polegar, Alan conta que recebeu um convite do ex-baixista do grupo, Alex, atualmente produtor musical. "Gravamos um CD em 2004 e fizemos várias apresentações em programas de TV. Não sei se vou conciliar o trabalho, mas estou estudando o assunto com carinho".
 

Redação Terra