ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


Presidencial
Quinta, 29 de junho de 2006, 18h54 
País está acima de partidos e idéias, diz Lula ao lado de Lembo
 
Últimas de Presidencial
» Lula falhou na participação social, diz especialista
» Stédile diz que reeleição é "extremamente positiva"
» Lula mantém rumo da economia e Mantega na Fazenda
» Contrapartida de apoio de Maggi a Lula prevê cargos federais
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Ao lado do governador paulista Cláudio Lembo (PFL) e em sua primeira visita ao Palácio dos Bandeirantes como presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva defendeu na quinta-feira que paixões partidárias e ideológicas não devem ficar acima do bem do país.

"Eu considero importante o dia de hoje, o fato de o governador do Estado de São Paulo e o presidente da República se encontrarem", disse Lula em discurso na assinatura de um convênio do governo federal com 18 cidades paulistas.

"(Isso é) apenas para passar para a sociedade a idéia de que dois seres de berços diferentes, de formação diferente, de concepções ideológicas diferentes, possam ser amigos, possam conviver democraticamente na adversidade."

Vice-governador eleito em 2002 na chapa com o tucano Geraldo Alckmin, candidato à Presidência da República pelo PSDB e adversário do petista Lula nas eleições de outubro, Lembo criticou os aliados durante a crise de segurança no Estado de São Paulo há algumas semanas e demonstrou amizade pelo presidente, que ofereceu ajuda federal para contornar a crise.

Apesar de manter o apoio a Alckmin, o governador de São Paulo foi quase na mesma linha de Lula e classificou o encontro de significativo.

"Guardem o dia de hoje. Pessoas de partidos diferentes, de situações políticas diferentes, de mundos diferentes, mas pessoas que acreditam na sociedade, no Estado brasileiro e, por isso, estão integradas, unidas", afirmou o pefelista.

Em entrevista após a solenidade, Lula afirmou que é preciso rever a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) porque o governo federal tem recursos disponíveis para repassar às prefeituras, que não podem receber, na maioria dos casos, por estar endividadas.
 

Reuters

Reuters Limited - todos os direitos reservados. Clique aqui para limitações e restrições ao uso.