ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


Eleições 2006
Sexta, 23 de junho de 2006, 19h58 
Campanha de Lula apoiará candidatos da base aliada
 
Maria Clara Cabral
Direto de Brasília
 
Últimas de Eleições 2006
» Ibope aumenta índice de acertos no 2º turno
» Diminui número de eleitores no 2º turno em Manaus
» Lula falhou na participação social, diz especialista
» Stédile diz que reeleição é "extremamente positiva"
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Em reunião na tarde desta sexta-feira, a executiva nacional do PT aprovou resolução que a campanha de Lula pedirá votos não só para parlamentares da legenda, mas também para senadores e deputados da base aliada. O presidente do PT, Ricardo Berzoini, afirmou que isso ocorrerá porque, devido à clausula de barreira e à lei da verticalização, muitos partidos do mesmo histórico do PT não poderão entrar formalmente na chapa

"Nós iremos orientar a população a votar em deputados e senadores além dos do PT que tenham o mesmo histórico nosso", disse ele. A reunião de hoje serviu também para oficializar a chapa do presidente Lula e do vice José Alencar.

Do total de 60 presentes, só houve uma abstenção na votação da chapa, do deputado Markus Sokol (SP), que alegou que votou contra a chapa por não ser favorável ao nome de José Alencar. "Não estou de acordo que Lula se candidate com esta chapa. Não sou a favor de manter a política econômica da forma que está".

Tom ameno Lideranças da legenda afirmaram também que ficou decidido na reunião de hoje que o tom da campanha de Lula será ameno. Segundo o coordenador da comissão da campanha de governo Marco Aurélio de Melo, o partido não irá para o ataque porque tem uma proposta a apresentar.

"Temos o que mostrar para a sociedade brasileira e não precisamos aprtr para a baixaria. Não temos a preocupação de designar um bom e o mau para o partido", afirmou, em referência indireta à política da chapa tucana de orientar o candidato a vice José Jorge (PFL) a fazer os ataques contra o governo e preservar Geraldo Alckmin (PSDB), candidato à Presidência, para mostrar as propostas do partido.

Tanto Marco Aurélio como Ricardo Berzoini evitaram falar sobre como os "mensaleiros" estarão presentes na campanha. Segundo a deputada Maria do Rosário (RS), o esquema conhecido como mensalão não fará parte nem dos discursos de amanhã da convenção nacional nem da campanha do presidente Lula. "Esse é um assunto freqüentemente usado pela oposição. Nós temos projeto, por isso abordaremos apenas este assunto", disse ela.

A chapa oficial do presidente Lula e José Alencar será homologada amanhã em convenção nacional do partido em Brasília.
 

Redação Terra