ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


Presidencial
Terça, 20 de junho de 2006, 17h58  Atualizada às 18h04
Faço política como o Ronaldinho joga bola, diz Lula
 
Agência Brasil
Presidente Lula participa do lançamento da pedra fundamental da usina
Presidente Lula participa do lançamento da pedra fundamental da usina
Últimas de Presidencial
» Lula falhou na participação social, diz especialista
» Stédile diz que reeleição é "extremamente positiva"
» Lula mantém rumo da economia e Mantega na Fazenda
» Contrapartida de apoio de Maggi a Lula prevê cargos federais
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta terça-feira, em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, que faz política assim como Ronaldinho Gaúcho joga futebol - com alegria. "Eu sei que tem gente nervosa, mas eu faço política como o Ronaldinho Gaúcho joga bola, com alegria. E não estou aqui por obrigação e sim porque eu gosto", disse.

» Veja fotos de Lula em visita ao Paraná
» Em clima de campanha, Lula destaca nível de emprego

Durante cerimônia de lançamento da Pedra Fundamental da Usina de Biodiesel BS BIOS, o presidente Lula ressaltou a evolução do País no campo da energia renovável e disse que o Brasil já é referência mundial no assunto.

"O mundo hoje sabe que o Brasil é ponta de lança em política energética renovável", afirmou. "Vamos fazer do Brasil o mais importante país na área de energia renovável. Ninguém conseguirá competir com o Brasil", completou o presidente.

Lula comparou o programa de biodiesel com o pró-álcool e disse que, apesar de estar sendo produzido no País há pouco tempo, terá mais eficiência que o pró-álcool.

"Todo mundo aqui já foi contra o pró-álcool, mas o que vemos agora é que o programa é responsável por mais de dois milhões de empregos. O que queremos é que o biodiesel se transforme em uma coisa ainda maior", disse.

O presidente ainda elogiou o Rio Grande do Sul, dizendo que, desde a primeira vez que esteve no Estado, em 1975, voltou para São Paulo "com a impressão de ter visitado um Estado diferenciado".

Lula ainda lamentou que o Rio Grande do Sul venha sofrendo com a estiagem, que já provoca racionamento de água em muitas cidades. No entanto, o presidente garantiu que, mesmo com a escassez de água nas usinas hidrelétricas, não haverá "apagão" no Estado. "Tomei um susto porque me disseram que no Rio Grande Sul tinha um problema de energia e que os lagos das usinas hidrelétricas estavam secando. E nós prometemos que não haverá apagão no Estado", afirmou.

"Como Deus é gaúcho, as nuvens estão se preparando para chover (...) Se Deus quiser, no ano que vem o Rio Grande do Sul não terá nenhuma urucubaca seja de chuva ou de sol. O Estado vai crescer de forma extraordinária", completou.
 

Redação Terra