ELEIÇÕES 2006
PRESIDENCIAL
ESTADUAIS
 Boletim
Receba as últimas notícias em seu email

 Fale conosco
Participe! Envie suas críticas e sugestões

 Sites relacionados
Eleições 2004


Presidencial
Terça, 30 de maio de 2006, 23h59  Atualizada às 03h44
Lula tem votos por área social; Alckmin, por sua imagem
 
Últimas de Presidencial
» Ibope: Lula está 22 pontos à frente de Alckmin
» Datafolha: Lula confirma vantagem de 22 pontos
» Ibope: Lula mantém vantagem de 24 pontos sobre Alckmin
» Vox Populi: Lula vence com 61%; Alckmin tem 39%
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Uma pesquisa do Instituto Datafolha divulgada nesta terça-feira mostra que 25% dos eleitores que votariam em Luiz Inácio Lula da Silva, caso as eleições fossem hoje, escolheriam o petista devido às suas propostas e desempenho na área social. Já entre os eleitores que votariam no candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, 32% afirmaram que o escolheriam pela sua imagem pessoal.

» Alckmin: único projeto de Lula é ficar no poder
» Alckmin rebate crítica de Lembo e diz estar "zen"
» Para Tasso, há insatisfações entre PSDB e PFL
» Opine: Como você define o seu voto?

A pesquisa, encomendada pela Rede Globo e divulgada pela Globonews, foi realizada entre os dias 23 e 24 de maio. Foram ouvidos 6 mil eleitores em 258 municípios. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número 6936/2006. O levantamento considerou um cenário em que o PMDB não possui candidato.

Na questão em que foram abordados eleitores que votariam no presidente Lula, a margem de erro da pesquisa é de 2 pontos percentuais. Entre os que responderam, 14% votariam em Lula por considerarem que o seu governo é voltado para o povo; 12% votariam nele pela sua imagem pessoal; e 11% o elegeriam pelo seu desempenho e propostas em relação a salários.

No questionamento aos possíveis eleitores de Alckmin, a margem de erro da pesquisa ficou em 3 pontos percentuais. A boa administração do tucano foi lembrada por 18% dos eleitores; 8% votariam em Alckmin pelas suas propostas e desempenho na área da saúde; 7% o escolheriam pelo seu desempenho na área da educação; e 6% por ser um novo candidato, que poderia mudar a situação atual.

Entre os possíveis eleitores da candidata à Presidência pelo Psol, Heloisa Helena, 43% a escolheriam pela sua imagem pessoal; 38% optariam pela candidata por ser mulher; 7% por ser uma nova candidata, que poderia mudar a situação atual; 3% pelas suas propostas e desempenho na área da saúde; e 3% por ser mais preparada para a política. Nesta questão, a margem de erro ficou em cinco pontos percentuais.

A pesquisa foi realizada entre os dias 23 e 24 de maio, quando foram entrevistados 6.000 eleitores em 258 cidades de 24 Estados e do Distrito Federal.

Lula
Das ações da área social mais citadas pelos eleitores de Lula como fatores decisivos na hora de se decidir pelo candidato, a que mais se destaca é o Bolsa-Família, citado por 14%. A "criação" do Bolsa-Escola, na realidade um programa de transferência de renda implantado no governo de Fernando Henrique Cardoso, aparece em segundo, com 10%. O Fome Zero, grande aposta feita por Lula no início do atual governo, foi apontado por 4% dos eleitores.

A maior parte dos eleitores que afirmaram votar no presidente Luiz Inácio Lula da Silva por conta dos programas sociais do governo está concentrada no Nordeste do país - 35%, região onde a intenção de voto no petista chega a 60%.

Entre os eleitores que votariam em Lula por seu desempenho na área econômica, 5% disseram que o presidente manteve o preço dos alimentos sob controle e diminuiu o custo de vida. Para 4%, ele reduziu a inflação e estabilizou o setor.

Alckmin
Entre os 32% dos eleitores de Alckmin que justificaram sua opção apontando a imagem pessoal do tucano, 12% disseram que ele é "honesto", "sincero", "digno" ou que "transmite confiança". Outros 4% afirmaram que ele é "responsável", e 3% que ele não está "envolvido em corrupção". Contudo, apenas 2% disseram que votariam no tucano por ser ele "o mais preparado" e só 1% pelo desempenho de seu governo ou por suas propostas na área econômica, ainda que 18% tenham destacado sua "boa administração".


 

Redação Terra