3 eventos ao vivo

Lula nega divisão: "quando País der certo, é pra todo mundo"

29 out 2014
18h38
atualizado às 18h40
  • separator
  • 0
  • comentários

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva negou, em vídeo divulgado pelo instituto Lula nesta quarta-feira, que haja uma divisão no Brasil em razão da vitória apertada de Dilma, e afirmou: "quando esse País der certo, ele dá certo pra todo mundo. Quando ele der errado, ele dá errado pra todo mundo".

De "coração leve", Lula fala sobre o resultado das eleições

O ex-presidente culpou parte da imprensa de ter criado essa tese. "Não é a primeira vez que eles (parte da imprensa) tentam insinuar a divisão entre ricos e pobres.(...) Isso é uma bobagem que não tem tamanho", disse ele. "O que há na verdade é como numa partida de futebol, num clássico (...) 24 horas depois do jogo tem uma tensão enorme entre as torcidas, se se encontrarem na rua são capaz de brigar, mas depois as pessoas compreendem que são torcedores, que cada um tem o diteito de torcer pelo seu time. Na política é a mesma coisa". Ele lembrou que em vários países do mundo existe a divisão por campos opostos na política, como entre democratas e republicanos nos EUA.

As propostas separatistas que surgiram nas redes sociais, assim como as mensagens preconceituosas contra nordestinos, foram rebatidas por Lula. Para ele, "isso só demonstra ignorância de quem pensa assim". "A Dilma teve 41% de votos no Sul e no Sudeste. É uma pena que algumas pessoas não conhecem o Nordeste, ainda pensam q o Nordeste é atrasado. As pessoas só precisam aprender um pouco de história para saber que durante 300 anos o Nordeste foi mais importante do que São Paulo, do que o Sul do País e nem por isso se brigava para ser separatista", completou. 

A fala do candidato a presidente derrotado na eleição, Aécio Neves, - que em seu discurso, após saber o resultado das urnas disse que Dilma deveria ter como prioridade unir o País - foi criticada pelo ex-presidente. "É importante lembrar que não é só obrigação da Dilma de unir o Brasil. É obrigação dos partidos políticos, é obrigação dos candidatos que perderam a eleição. (...) Porque quando esse País der certo, ele dá certo pra todo mundo. Quando ele der errado, ele dá errado pra todo mundo. Então não tem essa de jogar a responsabilidade apenas nas costas da presidenta. Nós temos que jogar a responsabilidade nas costas de 200 milhões de habitantes". 

Lula afirmou ainda que "as pessoas deveriam estar felizes porque 40 milhões de pessoas ascenderam de classe social (nos governo petistas). As pessoas estão se vestindo melhor, comendo melhor", e que se não se alegram com a melhora de vida da população "eu só posso compreender (isso como) o preconceito". E finalizou: "na medida que as pessoas subiram um degrau na escala social desse País, todo mundo subiu um pouco. Em que momento da história os empresários ganharam tanto dinheiro neste País? Em que momento da história os banqueiros ganharam tanto dinheiro neste País?".

.

 

 

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade