Notícias Eleições


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Eleições
Quinta, 31 de outubro de 2002, 10h06 
Lula recebe título de doutor honoris causa da UFBA
 
Veja também
Notícias
» Lula pode ganhar título de doutor pela UFPE
» Lula recebe título de doutor honoris causa da UFBA
» Lula diz que é 'doutor em povo brasileiro'
Últimas sobre Eleições
» Eleitor ausente no primeiro turno deve justificar até quinta-feira
» MS: Bernal pretende incluir na gestão nomes do PP nacional
» Haddad anuncia Netinho e mais seis novos secretários de governo
» Haddad escolhe Netinho e Tripoli para o secretariado
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva vai ser reconhecido como doutor. O título honoris causa será concedido pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) em maio do ano que vem, quando Lula ministrará a aula inaugural da universidade, já na condição de professor doutor.

A proposta de conceder a homenagem ao retirante nordestino que se elegeu presidente da República partiu da Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas (FFCH) e foi ratificada por decisão unânime do Conselho Universitário da instituição, em reunião realizada na tarde de ontem. De acordo com o reitor da Ufba, Naomar Almeida, Lula já demonstrou sua satisfação em receber o título concedido pela universidade baiana.

Apesar de ter sido uma decisão unânime, o assunto rendeu acaloradas discussões na sala dos conselhos e, em determinados momentos, os ânimos ficaram bastante acirrados, após alguns membros fazerem ressalvas à concessão do título. Ninguém, entre os 41 integrantes do Conselho Universitário da Ufba, contestou o mérito do homem de origem humilde que chegou à Presidência da República, mas alguns discutiram se o título seria apropriado e se o momento para a sua concessão seria o mais adequado.

O diretor da Faculdade de Ciências Econômicas, Luís Filgueiras, chegou a dizer que um título de doutor iria de encontro a tudo o que Lula de fato representa. "Não é preciso um título de doutor para exercer uma liderança política no país. Lula chegou à vitória como metalúrgico, imigrante e representante das classes mais pobres. É espetacular que a universidade queira fazer uma homenagem a este homem, mas a considero equivocada porque trata-se de reconhecê-lo com algo que o penalizou durante muitos anos, que é o fato de não possuir formação acadêmica", opinou.

Oportunismo

Outra ressalva levantada por alguns membros do conselho, a exemplo de Nelson Pretto, diretor da Faculdade de Educação, e Nice Americano, diretora do Instituto de Física, é o temor de a universidade baiana ser apontada como oportunista pela crítica nacional. "Preocupado com a Universidade Federal da Bahia, eu considero o momento impróprio, vislumbrando a possibilidade de a instituição ser acusada de oportunismo pela opinião pública nacional", disse. "Não escaparemos de ser imputados por uma tentativa de se aproximar do presidente para receber benesses", ponderou Nice Americano.

O representante dos estudantes, Gion Brun, e da comunidade, vereador Juca Ferreira (PV), contestaram as opiniões anteriores, alegando que o título de honoris causa, apesar de concedido pela academia, representa o reconhecimento ao saber popular. "Concordo com o que foi colocado, mas acho que a universidade tem condições de enfrentar esse desafio. Acho que o título poderia ser concedido em outro momento, mas antes tarde do que nunca", argumentou o estudante, apoiado pelo representante da comunidade.

Os servidores técnico-administrativos da Ufba também se mostraram favoráveis à concessão do título desde o início. "Defendemos a concessão do título pelo reconhecimento ao metalúrgico, sindicalista e fundador do maior partido de esquerda da América Latina. E também pelo conhecimento que ele possui acerca da realidade nacional e internacional, passando por todos os campos do saber. Por tudo isso, nossa categoria gostaria de honrar Lula com o título de doutor honoris causa", declarou.

De acordo com Antonio Fernando Guerreiro, diretor da FCCH, unidade que propôs a concessão do título, é preciso reconhecer que, em diversas questões, Lula é um professor e não mais um aprendiz. "Sua trajetória pessoal é extremamente singular, pois mesmo sendo de origem humilde, ele se mostrou um grande organizador político e mobilizador social. Esse é um título que serve justamente para reconhecer o saber popular e isso está acima do fato de Lula ser um dirigente político", afirmou.

Unanimidade

Após muita discussão, a proposta foi submetida à votação pelo conselho, que decidiu por unanimidade pela concessão do título de doutor honoris causa a Luiz Inácio Lula da Silva. "Minha posição pessoal, desde o início, foi favorável à concessão do título. As críticas apresentadas aqui, no meu entender, são infundadas e injustas, e na minha opinião esse é o momento mais oportuno para a homenagem", declarou o reitor Naomar Almeida. "Como reitor, eu considero um privilégio enorme o fato de Lula ter aceitado o título e ele já disse que vai ficar muito feliz em recebê-lo e em ministrar a aula inaugural do próximo semestre", acrescentou.

O Conselho Universitário da Ufba é constituído de 29 diretores, quatro membros da reitoria, nove estudantes, um membro do Conselho de Pesquisa e Extensão, dois representantes dos servidores técnico-administrativos e da comunidade. No total, foram 41 votantes. Todos disseram sim à concessão do título ao presidente eleito.

Outro título, o de professor emérito da Universidade Federal da Bahia, foi concedido pela instituição, ontem, ao antropólogo Pierre Verger, francês que escolheu a Bahia para viver durante mais de 50 anos e cujo centenário está sendo comemorado este ano. Verger foi professor adjunto do Departamento de Antropologia da Ufba, de 1974 a 1996, pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas. Além de antropólogo, Verger, morto em 11 de fevereiro de 1996, é reconhecido como um grande fotógrafo e um dos maiores conhecedores da cultura popular baiana, sobretudo de origem afrobrasileira.
 

Correio da Bahia