Notícias Eleições


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Eleições
Segunda, 28 de outubro de 2002, 14h16 
Combate à fome é o principal objetivo do governo Lula
 
Reuters
O primeiro pronunciamento começou com quase uma hora de atraso.
Veja também
Galeria de Fotos
» Lula fala como presidente eleito
» Lula faz primeiro discurso após vitória
Notícias
» Combate à fome é o principal objetivo do governo Lula
» Íntegra do discurso
» As melhores frases
Links
» Discurso não altera dólar
» Ouça o pronunciamento de Lula
Últimas sobre Eleições
» Eleitor ausente no primeiro turno deve justificar até quinta-feira
» MS: Bernal pretende incluir na gestão nomes do PP nacional
» Haddad anuncia Netinho e mais seis novos secretários de governo
» Haddad escolhe Netinho e Tripoli para o secretariado
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Em seu primeiro pronunciamento político como presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva disse que o símbolo do seu governo será o combate a fome, que os acordos já firmados entre o governo e organismos internacionais serão honrados e que não vai descuidar do controle da inflação. Ele anunciou a criação da Secretaria de Emergência Social que desde o primeiro momento terá verbas para iniciar o trabalho. "Se no final do meu mandato, cada brasileiro puder se alimentar três vezes ao dia, eu terei realizado a missão da minha vida".

Lula citou o FMI, o BID e o Bird como instrumentos a serem utilizados para a geração de emprego. Lula disse que vai adotar uma política ofensiva de exportações, incorporando mais valor agregado aos productos e promovendo uma política de substituições de importações.

O presidente eleito disse que vai lutar para que os "países ricos retirem as barreiras protecionistas e os subsídios que penalizam nossas exportações, principalmente na agricultura". Seu governo também vai buscar a ampliação e o barateamento do crédito e investimentos em ciência e tecnologia. "Haverá uma inversão de prioridade nos financiamentos e no gasto público, visando o desenvolvimento da agricultura familiar e das micro e pequenas empresas.

No mesmo tom usado por partidos que serão oposição, Lula disse que fará um governo de entendimentos, negociações, firmeza e paciência. "A grandeza dessa tarefa supera os limites de um partido". Lula pretende encaminhar ao Congresso "as reformas tão esperadas pelo povo brasileiro" como a Tributária, a da Previdência, a da Legislação Trabalhista e Estrutura Sindical, Reforma Agrária e Política.

Lula garantiu que não vai decepcionar o povo brasileiro. Disse que vai promover um combate implacável ao narcotráfico, que será um "guardião da amazônia", priorizando a responsabilidade ambiental, resgatará e ampliará o Mercosul e "com criatividade e determinação" proporcionará uma nova ordem econômica e social que diminua as injustiças.

Lula disse mais uma vez que o pleito foi um belo espetáculo democrático, quando "um dos maiores povos do planeta resolveu, de modo pacífico, traçar um rumo diferente para si". O presidente eleito lembrou, em seu discurso, "os companheiros já falecidos" e os que o apoiaram na campanha. Destacou os ex-presidentes José Sarney (PMDB) e Itamar Franco (sem partido).

Ainda sob o efeito da vitória, Lula tentou algumas brincadeiras. No início do seu discurso ameaçou pegar os óculos "mas não fica bem para os fotógrafos ficar de óculos". Depois disso, fez uma breve pausa para molhar a garganta e viu que seu copo estava vazio. "O protocolo ainda não colocou água para mim". Abriu a garrafa, se serviu e foi aplaudido.
 

Redação Terra