Notícias Eleições Presidência Luiz Inácio Lula da Silva


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Segunda, 28 de outubro de 2002, 01h22 
Primeiro discurso de Lula é reservado para agradecimentos
 
Veja também
Galeria de Fotos
» A comemoração dos petistas
» Jornais estrangeiros e vitória de Lula
» Lula faz 1º discurso após vitória
Notícias
» Lula agradece aliados e diz que Brasil 'venceu o medo'
» Na Paulista, Lula diz que PT venceu preconceito
» Íntegra: discurso de Lula na Avenida Paulista
» Festa na Paulista reúne 50 mil
» Íntegra: 1º discurso de Lula
» FHC liga para Lula e deseja boa sorte à frente do governo
» Serra telefona para Lula
» Manchetes internacionais
Links
» Biografia de Lula
» Vídeo: Serra admite derrota
» Vídeo: 1º discurso de Lula
Últimas sobre Luiz Inácio Lula da Silva
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldinho e ONU ajudarão no combate à fome
» Gushiken cuidará da Previdência na transição
» Lula pode ganhar título de doutor pela UFPE
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O Presidente eleito do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva, fez seu primeiro discurso de vitorioso ainda no Hotel Intercontinental, em São Paulo. Lula falou logo após ter recebido telefonema do rival José Serra (PSDB), candidato do governo derrotado no pleito. Leia a íntegra do discurso.

"Primeiro quero dar os parabéns ao povo brasileiro pelo extraordinário espetáculo de democracia que ele deu no dia 27 de outubro de 2002, escolhendo o seu presidente da República e seus governadores. Segundo, eu queria agradecer e cumprimentar o comportamento das autoridades que cuidaram do processo eleitoral, através do Tribunal Superior Eleitoral e o seu presidente, Nelson Jobim. Meus agradecimentos ao presidente Fernando Henrique Cardoso pelo fato de ter anunciado à sociedade brasileira que possivelmente tenhamos a mais sensata e a mais democrática transição já vista no nosso País.

Quero agradecer aos milhões e milhões de homens mulheres e adolescentes que votaram em mim e no companheiro José Alencar. Quero agradecer aos milhões e milhões de eleitores, homens e mulheres, que votaram no meu adversário, que se abstiveram de votar, porque eu acho que essa atitude, esse comportamento do povo é que consolida a democracia no nosso País.

Quero dizer para vocês que este resultado eleitoral me obriga a afirmar que embora tenha sido eleito pelo meu partido e pelos aliados do PCdoB, do PL, do PCB e do PMN, a partir do dia 1º de janeiro, eu serei presidente de 175 milhões de brasileiros. Quero dizer para vocês que a responsabilidade de governar é muito grande. Eu e minha equipe iremos governar esse País, mas não seria exagero dizer pra vocês que apenas um presidente, o seu vice e a nossa equipe não será suficiente para que a gente governe o Brasil com os seus problemas, portanto nós vamos convocar toda a sociedade brasileira, todos os homens e mulheres de bem desse País, todos os empresários, todo os sindicalistas, todos os intelectuais, todos os trabalhadores rurais, toda a sociedade brasileira, enfim, para que a gente possa construir um País mais justo, mais fraterno e mais solidário.

Por último, eu quero me dirigir à comunidade internacional. Acho que o Brasil pode jogar um papel extraordinário nesse continente americano, para que possamos construir um mundo efetivamente de paz, onde os países possam crescer economicamente e possam crescer do ponto de vista social para todo o seu povo. E farei o que estiver ao alcance do presidente da República do Brasil para que a paz seja uma conquista definitiva do nosso continente.

Quero dizer ao meu querido companheiro Genoino que você não perdeu a eleição, porque você não era governador, você apenas deixou de ganhar. Mas, você vai perceber, meu companheiro Genoino, que, se você souber tirar proveito, uma derrota vai te deixar muito mais maduro, muito mais preparado e muito mais perto da próxima vitória. Para quem veio de Quixeramobim, ter 40 e poucos porcento de votos em São Paulo, você, Genoino, foi um dos candidatos mais brilhantes que eu conheci. Se todo mundo tivesse o teu bom humor e a tua vontade, meu caro, o Brasil seria infinitamente melhor.

Eu quero aqui agradecer a minha companheira Benedita da Silva. A Benedita que, convencida pelo Zé Dirceu e por mim, foi cumprir um mandato de nove meses, numa situação extremamente difícil. Eu não tenho dúvida nenhuma que a Benedita fez o que era possível fazer no período que ela fez. Eu quero aproveitar e dizer aqui para vocês que o que mais me incentivou a convencer a Benedita a ser governadora do Rio de Janeiro e assumir o governo do Rio foi o fato de ela ser negra. E ela assumir o governo do Rio de Janeiro foi a maior conquista dos negros depois da libertação dos escravos neste País.

Por fim, eu quero dizer pra vocês que o Brasil está mudando em paz. E, mais importante, a esperança venceu o medo. E hoje eu posso dizer para vocês que o Brasil votou sem medo de ser feliz.

Por último, eu quero agradecer essa extraordinária figura. Eu não vou elogiar os meus dirigentes, que estão aí. Já conversei com meu adversário, José Serra, recebi um telefonema dele agora pouco. Já conversei com muitas outras pessoas pelo País afora. Já agradeci em público à minha mulher durante muito tempo, durante a campanha. Mas acho que esse companheiro aqui não foi a única mas foi uma das coisas mais extraordinárias que aconteceu nessa campanha de 2002. Zé Alencar e eu não vamos ser um presidente e um vice. Nós vamos ser parceiros nos bons e nos maus momentos, vamos ser companheiros. E vocês sabem que, quando eu falo companheiro, falo companheiro com uma coisa muito forte no meu coração, porque nem todo irmão é um grande companheiro, mas todo companheiro é um grande irmão. E você é um grande companheiro, meu querido Zé Alencar.

É que eu não posso ficar com o microfone que eu tenho vontade de falar. Nós vamos ter que ir para a avenida Paulista, tem muita gente lá. Amanhã nós vamos fazer uma coletiva, mais... vou fazer um pronunciamento. Eu ainda tenho que cumprimentar algumas delegações de estrangeiros que estão aí.

Queria agradecer do fundo da minha alma todos os companheiros que no primeiro turno e no segundo turno trabalharam de forma incansável. Quero agradecer à direção do meu partido e a direção dos partidos aliados. Quero dizer que sem vocês eu não seria o Lulinha paz e amor dessa campanha. Muito obrigado companheiros e obrigado por tudo".
 

Redação Terra