Notícias Eleições Presidência Luiz Inácio Lula da Silva


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Domingo, 27 de outubro de 2002, 23h01 
Lula agradece aliados e diz que Brasil "venceu o medo"
 
Reuters
Lula agradece confiança dos brasileiros após confirmação oficial da vitória
Veja também
Galeria de Fotos
» A comemoração dos petistas
» Jornais estrangeiros e vitória de Lula
» Lula faz 1º discurso após vitória
Notícias
» Lula agradece aliados e diz que Brasil 'venceu o medo'
» Na Paulista, Lula diz que PT venceu preconceito
» Íntegra: discurso de Lula na Avenida Paulista
» Festa na Paulista reúne 50 mil
» Íntegra: 1º discurso de Lula
» FHC liga para Lula e deseja boa sorte à frente do governo
» Serra telefona para Lula
» Manchetes internacionais
Links
» Biografia de Lula
» Vídeo: Serra admite derrota
» Vídeo: 1º discurso de Lula
Últimas sobre Luiz Inácio Lula da Silva
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldinho e ONU ajudarão no combate à fome
» Gushiken cuidará da Previdência na transição
» Lula pode ganhar título de doutor pela UFPE
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Em seu primeiro pronunciamento após a confirmação de estar eleito Presidente do Brasil, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) agradeceu aliados e parabenizou os brasileiros pela prova de democracia que tiveram hoje. Lula fez o discurso no Hotel Intercontinental, minutos antes de ir à festa do PT na Avenida Paulista e terminou dizendo que a esperança venceu o medo no Brasil. Em seu discurso, Lula apenas mencionou dois petistas: José Genoíno e Benedita, ambos derrotados na disputa pelos governos de SP e RJ.

Lula começou o discurso avisando aos jornalistas para voltar ao meio-dia desta segunda-feira, quando irá dar uma entrevista coletiva com mais detalhes sobre a transição. Ao lado do petista sentaram-se sua mulher, Marisa, e o vice-presidente eleito José Alencar (PL). Estavam presentes diversas autoridades da cúpula do PT, como Benedita da Silva, atual governadora do Rio de Janeiro, e Marta Suplicy, prefeita de São Paulo. O presidente da Gradiente, Eugênio Staub, cotado para assumir algum Ministério no novo governo, também estava presente.

A José Genoíno, Lula disse: "Você não perdeu, porque você não era governador. Você apenas deixou de ganhar. E você vai ver que perder vai te deixar muito mais maduro para a próxima vitória. Você é um dos candidatos mais brilhantes que eu já conheci". "Quero agradecer minha companheira Benedita da Silva, que convencida por mim e por José Dirceu foi enfrentar um mandato de nove meses. Ela assumir o Rio de Janeiro foi a maior conquista dos negros depois da libertação dos escravos", falou o petista.

Lula deu os parabéns aos brasileiros, pela prova de democracia que foram as eleições de 2002, e agradeceu também ao presidente do TSE, ministro Nelson Jobim, e ao presidente Fernando Henrique Cardoso. "Teremos, talvez, a mais sensata e mais democrática transição da história de nosso país", disse. "Quero agradecer aos milhões e milhões de brasileiros que votaram em mim e nos milhões e milhões de brasileiros que votaram em meu adversário, pois acredito que esta atitude fortalece a democracia em nosso país".

"Este resultado eleitoral me obriga a afirmar a todos vocês: embora eu tenha sido eleito pelo meu partido e pelos meus aliados, PC do B, PL, PCB, PMN, eu serei o presidente de 175 milhões de brasileiros", continuou Lula. "Quero dizer a vocês que a responsabilidade de governar é muito grande. Eu e minha equipe iremos governar este país, mas não seria exagero dizer a vocês que apenas minha equipe não será suficiente para que a gente governe este Brasil, com seus problemas. Portanto, nós vamos convocar toda a sociedade brasileira."

"Todos os homens e mulheres deste país, todos os empresários, todos os sindicalistas, todos os intelectuais, todos os trabalhadores rurais, todos para que a gente possa construir um Brasil mais justo e mais fraterno", disse. "Por último, quero me dirigir à comunidade internacional. Acho que o Brasil pode jogar um papel extraordinário neste continente americano, para que possamos construir um mundo em que os países possam crescer economicamente e de um ponto de vista social para seu povo. Farei o que estiver ao alcance do presidente do Brasil para que a paz seja uma conquista definitiva em nosso continente".


 

Redação Terra