Notícias Eleições Presidência


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Quinta, 31 de outubro de 2002, 19h46 
Jutahy diz que governo não prepara armadilha para o PT
 
Veja também
Galeria de Fotos
» Primeiro encontro de FHC e Lula
Notícias
» Visita de Lula a Brasília frustra expectativa sobre ministério
» Lula anuncia que Palocci coordenará equipe de transição
» Saiba quem é Antônio Palocci
» Os nomes da equipe do PT
» Quem integra a equipe do governo
» Conselho vai traçar programas sociais
» FHC deixa inflação sob controle e dívida alta
» Frases de Lula depois de eleito
Links
» Transição 2002: Lula vai tentar atrasar anúncio de ministério
» Biografia de Lula
Últimas sobre Presidência
» Governadores do RS e SC discutem posição do PMDB
» Lula reúne partidos aliados para discutir apoio e participação
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldo Lessa diz que dará trégua para Lula
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O líder do PSDB na Câmara, Jutahy Júnior (BA), negou hoje que o fato de a bancada governista ter dado liberdade para o PT alterar a proposta do Orçamento Geral da União (OGU) 2003 seja uma armadilha.

A acusação havia sido feita pelo senador eleito Antônio Carlos Magalhães (PFL-BA), que afirmou: "a responsabilidade é de quem enviou a mensagem. Se não Lula (Luiz Inácio Lula da Silva) vai ficar responsável por tudo que o orçamento não tiver no próximo ano".

Na avaliação de Jutahy, a medida é uma demonstração de que está sendo feita uma transição democrática. "Isso não é armadilha. Nós desejamos que o governo do PT dê certo. Nosso desejo é que não haja depois uma desculpa. Para que não digam que deu errado porque nós tentamos atrapalhar", disse.

O líder lembrou, ainda, que essa foi uma orientação do PSDB. "O orçamento de 2003 será executado pelo PT. Cabe ao PT executar todas as reformas necessárias. Mas, no caso especifico do salário mínimo, nós não temos o que rediscutir", afirmou. Segundo Jutahy, o PSDB não vai aceitar "nenhum real a menos que os R$ 240 para o salário mínimo".

Ele lembra que essa foi a proposta apresentada pelo PT ao longo da discussão do orçamento e na campanha eleitoral. "Todos os principais líderes do PT, alguns inclusive falando em nome de Lula, defenderam esse valor. Se eles mudarem de idéia, vamos tomar um susto. Vai ficar parecendo uma demagogia eleitoral, um estelionato eleitoral".
 

Agência Nordeste

Copyright Agência Nordeste. Todos os direitos reservados.