Notícias Eleições Presidência


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Quinta, 31 de outubro de 2002, 16h27 
Armínio Fraga diz que novo governo deve aprimorar acordo
 
Últimas sobre Presidência
» Governadores do RS e SC discutem posição do PMDB
» Lula reúne partidos aliados para discutir apoio e participação
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldo Lessa diz que dará trégua para Lula
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, afirmou há pouco crer que o desenho original do pacote de US$ 30 bilhões feito com o FMI permanece totalmente válido "e não é nossa intenção tratar a revisão (em novembro) como se o novo governo já tivesse empossado". Segundo Fraga, o pacote foi pensado com o objetivo maior de construir um colchão de segurança para a transição de governo. "Desenhamos um pacote, acreditamos que até com certa folga, dentro de um programa econômico minimalista que pudesse ser aprimorado em aspectos qualitativos pelo governo eleito", acrescentou.

A afirmação do presidente do BC foi uma resposta a cogitações surgidas no mercado de que o Brasil precisaria de novo pacote no patamar de US$ 100 bilhões para evitar uma reestruturação da dívida brasileira. "Não creio que o País precise desse pacote gigante porque o balanço de pagamentos vem sendo ajustado de forma extraordinária, a dívida externa tem um perfil longo e a dívida interna passou por dificuldades, mas qualquer idéia de reestruturação me parece um erro de diagnóstico, na minha cabeça não faz sentido", ponderou.

Conforme Fraga, o governo eleito já sinalizou disposição para ajustar o que for necessário em relação ao acordo, seja quantitativa ou qualitativamente. "Não vejo problemas, o próximo governo vai sacar o dinheiro do Fundo, desde que mantenha o nosso lado da equação, o que acho perfeitamente factível", observou.

Armínio Fraga participou hoje do 23 Congresso Brasileiro de Fundos de Pensão, em São Paulo.
 

Investnews - Gazeta Mercantil