Notícias Eleições Presidência


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Quinta, 31 de outubro de 2002, 13h55 
Relator do Orçamento nega armadilha para novo governo
 
Últimas sobre Presidência
» Governadores do RS e SC discutem posição do PMDB
» Lula reúne partidos aliados para discutir apoio e participação
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldo Lessa diz que dará trégua para Lula
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O relator-geral do Orçamento, senador Sérgio Machado (PMDB-CE), não concorda com a avaliação do senador eleito Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) de que as mudanças das regras do encaminhamento final de emendas do orçamento sejam uma armadilha para o PT.

Para o senador, autor da emenda que permitiu essa operação, o fato é um avanço para a democracia. "O governo tem quatro anos. Se no primeiro ano você não puder fazer os ajustes necessários, perde-se uma ano e o maior prejudicado com isso é o País".

Machado afirmou também que o PT terá que viver com a realidade de que o orçamento será enxuto, já que de acordo com ele, não se pode separar a peça orçamentária da realidade macroeconômica do país. "O orçamento é um equilíbrio entre necessidades, desejos e recursos".

A comissão Mista do orçamento criou ontem um Comitê de Receitas para estudar alternativas para um aumento de recursos na peça orçamentária para 2003. Sérgio Machado não quis falar em números provenientes desse estudo. "Como relator-geral do orçamento lançar balões de ensaio com números fictícios não ajudaria em nada no processo."
 

Jornal do Brasil