Notícias Eleições Presidência Luiz Inácio Lula da Silva


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Quarta, 30 de outubro de 2002, 15h18 
Lula começa a ligar para os governadores eleitos
 
Veja também
Galeria de Fotos
» Primeiro encontro de FHC e Lula
Notícias
» Visita de Lula a Brasília frustra expectativa sobre ministério
» Lula anuncia que Palocci coordenará equipe de transição
» Saiba quem é Antônio Palocci
» Os nomes da equipe do PT
» Quem integra a equipe do governo
» Conselho vai traçar programas sociais
» FHC deixa inflação sob controle e dívida alta
» Frases de Lula depois de eleito
Links
» Transição 2002: Lula vai tentar atrasar anúncio de ministério
» Biografia de Lula
Últimas sobre Luiz Inácio Lula da Silva
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldinho e ONU ajudarão no combate à fome
» Gushiken cuidará da Previdência na transição
» Lula pode ganhar título de doutor pela UFPE
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou hoje estar certo de que conseguirá atender pelo menos uma parte da expectativa que a sociedade brasileira depositou nele. Ele disse que está tendo contato direto com o povo por onde passa e que as pessoas não estão reivindicando mas querendo ajudar. "As pessoas são mais inteligentes. Sabem que o problema do Brasil não é o problema de um homem", disse.

Lula começará a telefonar hoje para os governadores eleitos a fim de marcar uma reunião de aproximação para o novo governo. A idéia do presidente eleito é promover o desenvolvimento regional combinando as características dos estados com as políticas setoriais. "O Acre tem de ser pensado diferentemente do Pará, e assim por diante."

O presidente eleito ressaltou que a visita feita ontem aos três poderes, em Brasília, cumprimentando os presidentes da República, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, é um exemplo da relação estreita que pretende manter em seu governo. Sobre as ações durante os dois meses até sua posse, Lula afirmou que discutirá com os líderes do PT na Câmara e no Senado as pautas que precisam ser votadas já e ouvirá partidos aliados e pessoas da sociedade civil para escolher seu Ministério. "Mas o Ministério é uma questão pessoal. Não vou fazer ministério por conta desta ou daquela pressão", afirmou, acrescentando que ainda ninguém foi convidado e tem até primeiro de janeiro para tomar essa decisão.
 

Investnews - Gazeta Mercantil