Notícias Eleições Presidência Luiz Inácio Lula da Silva


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Terça, 29 de outubro de 2002, 19h27 
Lula diz que harmonia com a Câmara facilita novo contrato social
 
Veja também
Galeria de Fotos
» Primeiro encontro de FHC e Lula
Notícias
» Visita de Lula a Brasília frustra expectativa sobre ministério
» Lula anuncia que Palocci coordenará equipe de transição
» Saiba quem é Antônio Palocci
» Os nomes da equipe do PT
» Quem integra a equipe do governo
» Conselho vai traçar programas sociais
» FHC deixa inflação sob controle e dívida alta
» Frases de Lula depois de eleito
Links
» Transição 2002: Lula vai tentar atrasar anúncio de ministério
» Biografia de Lula
Últimas sobre Luiz Inácio Lula da Silva
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldinho e ONU ajudarão no combate à fome
» Gushiken cuidará da Previdência na transição
» Lula pode ganhar título de doutor pela UFPE
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

Sentado ao lado do presidente da Câmara, governador eleito Aécio Neves (PSDB-MG), o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva afirmou que deseja manter uma relação harmônica com a Câmara e que ouvirá constantemente os parlamentares em seu governo. "Se não for assim, a gente não consegue construir um novo contrato social para atender os interesses do nosso País", afirmou para um grupo de deputados que o receberam há pouco na Câmara.

Lula aproveitou para fazer uma brincadeira com o líder na Câmara do PFL, deputado Inocêncio Oliveira (PE), afirmando que ele terá o "privilégio de ter um pernambucano como presidente da República". Inocêncio respondeu que espera que Lula "faça um grande governo e possa traduzir o apoio de toda a sociedade. Mas quero dizer que nós seremos oposição. Uma oposição construtiva e responsável".

O presidente eleito ressaltou que existe um alto grau de concordância entre as prioridades do governo do PT e dos atuais parlamentares. Disse ainda que acredita que contará com a colaboração dos líderes do governo no Congresso: o deputado Arnaldo Madeira (PSDB-SP) e o senador Artur da Távola (PSDB-RJ).Daqui a pouco, Lula deverá reunir-se com o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Marco Aurélio de Mello.
 

Investnews - Gazeta Mercantil