Notícias Eleições Presidência Luiz Inácio Lula da Silva


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Presidência
Terça, 29 de outubro de 2002, 18h55 
Petista diz que Orçamento passará por ajustes
 
Veja também
Galeria de Fotos
» Primeiro encontro de FHC e Lula
Notícias
» Visita de Lula a Brasília frustra expectativa sobre ministério
» Lula anuncia que Palocci coordenará equipe de transição
» Saiba quem é Antônio Palocci
» Os nomes da equipe do PT
» Quem integra a equipe do governo
» Conselho vai traçar programas sociais
» FHC deixa inflação sob controle e dívida alta
» Frases de Lula depois de eleito
Links
» Transição 2002: Lula vai tentar atrasar anúncio de ministério
» Biografia de Lula
Últimas sobre Luiz Inácio Lula da Silva
» Lula se reúne com aliados para discutir governo
» Ronaldinho e ONU ajudarão no combate à fome
» Gushiken cuidará da Previdência na transição
» Lula pode ganhar título de doutor pela UFPE
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O líder do PT na Comissão Mista de Orçamento, Jorge Bittar (RJ), afirmou hoje que o próximo governo fará ajustes ao Orçamento da União aprovado esse ano para adequar as prioridades dadas pelo presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva, como aumento do salário mínimo, gastos em saúde pública e no programa de combate à fome.

Segundo ele, o PT começará a negociar agora e recalcular as estimativas de arrecadação previstas no Orçamento, cujos números levam em conta a conjuntura econômica de julho e agosto, diferentes do momento atual."O importante é que estamos conscientes de que a conjuntura econômica é difícil com a taxa de juros alta, causando esfriamento na economia e o aumento dos gastos do governo com juros. Isso tudo limita os gastos na área social e de infra-estrutura. Além disso, a peça orçamentária é rígida", afirmou.

Segundo o deputado, o PT irá fazer uma análise cuidadosa do mercado e da situação econômica nesse primeiro mês após o resultado das eleições, com o objetivo de obter subsídios para rever as estimativas de remanejamento de investimentos e custeio entre os diversos setores. Apesar disso, Bittar afirmou que o PT está em uma saia justa para atender às emendas parlamentares, que somente as individuais somam R$ 1,2 bilhão.

"O governo Fernando Henrique deixou uma reserva técnica muito baixa, o que traz restrições às emendas". Segundo ele, contudo, o PT, junto com os parlamentares, vão discutir soluções que busquem um esforço nessa direção. "O primeiro ano do governo Lula será para rearrumar a casa e fazer de todo jeito remanejamentos para os gastos sociais", afirmou. O deputado concedeu entrevista durante audiência da Comissão Mista, onde o secretário do Tesouro, Eduardo Guardia, faz uma apresentação
 

Investnews - Gazeta Mercantil