Notícias Eleições Pernambuco


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Pernambuco
Terça, 29 de outubro de 2002, 13h28 
Jarbas consegue duplicar votos de Serra em PE
 
Últimas sobre Pernambuco
» Pefelista de Caruaru consegue a reeleição
» Prefeita de Olinda se reelege no primeiro turno
» Jarbas Vasconcelos reconhece derrota em Recife
» Pernambuco já tem 24 novos prefeitos eleitos
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O resultado da eleição mostrou a força política em Pernambuco do governador Jarbas Vasconcelos (PMDB), já que Serra teve, anteontem, a votação praticamente duplicada, em relação ao primeiro turno, quando recebeu cerca de 28% dos votos. Mas, deixou o PT em pé de igualdade com a aliança governista, consagrando o partido na liderança da oposição no Estado. Maior nome petista no em Pernambuco, o prefeito João Paulo saiu fortalecido, ao coordenar a vitória estadual de Lula. Em Recife, o presidente eleito recebeu 502.252, 63,5% dos votos válidos, enquanto Serra teve 289.023, ou seja, 36,5% do total.

Na Região Metropolitana do Recife, maior colégio eleitoral do Estado, Lula venceu nos 14 municípios, embora Jarbas tenha apoio de oito prefeitos. Em Paulista, administrado por Antônio Speck (PMDB), o candidato do PT teve seu melhor desempenho com 86.486, 68,3% dos votos. Já José Serra ficou com 40.076, ou 31,7% da votação. Nas cidades administradas pela oposição, Araçoiaba, do prefeito Hidelmar Alves, o Cuscus (PSB), deu a maior vitória a Lula com 71% dos votos.

Apesar de ter anunciado que daria um pronunciamento sobre o resultado das eleições, o governador Jarbas optou por divulgar uma nota oficial através da Secretaria de Imprensa. Ele ressaltou não ter o que contestar diante, tendo como único caminho, agora, a oposição. "O resultado das urnas, com a vitória inconteste do candidato do PT, Luiz Inácio Lula da Silva, nos conduz para a oposição. Entendo que esta também deve ser a posição do meu partido, o PMDB", ressaltou.

Numa nota curta e sem muitas explicações, o governador aproveitou para criticar sutilmente os petistas, alegando que apesar de passar de governista para oposicionista, pretende fazer um trabalho de oposição diferente do realizado pelo PT, e que, por isso, terá paciência para aguardar o momento certo de criticar. "Não faremos, porém, uma oposição radical, como fez o PT. Consideramos que a hora é de pensar na governabilidade do País e aguardar que o presidente eleito apresente os projetos que deseja implementar para atender a seus compromissos de campanha, e buscar, na medida do possível, ajudar na sua aprovação pelo Congresso Nacional", salientou.

O governador também demonstrou na nota oficial estar disposto a manter um bom relacionamento com o presidente eleito. "No que se refere a Pernambuco, onde o povo nos garantiu e aos nossos aliados uma vitória expressiva logo no primeiro turno, continuaremos empenhados na luta pelo desenvolvimento econômico e social do Estado e na busca do apoio federal para os nossos projetos, através de uma convivência firme, civilizada e respeitosa com o novo presidente", garantiu Jarbas.
 

JB Online