Notícias Eleições Rio Grande do Norte


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Rio Grande do Norte
Sexta, 11 de outubro de 2002, 12h24 
Posição do PT no RN cria problemas no interior
 
Notícias
» PT faz aliança com Wilma no Rio Grande do Norte
Últimas sobre Rio Grande do Norte
» Mais três cidades potiguares têm novo prefeito
» Outra cidade do Rio Grande do Norte elege prefeito
» Cidade potiguar será governada por peemedebista
» Coordenador define atribuições para transição no RN
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

O Partido dos Trabalhadores enfrenta resistência no interior do Rio Grande do Norte para apoiar Wilma de Faria (PSB). Em Macaíba, a vereadora Rossana Maria Barbosa disse que fará campanha para o candidato a presidente do partido, Lula, mas em hipótese alguma vai pedir voto para a candidata ao governo.

"Minha energia, os votos e a força que a gente teve jamais iriam de encontro ao pensamento do PT", esclareceu ontem a vereadora, que este ano foi candidata à Câmara Federal e obteve 4.845 votos, dos quais 3.094 somente em Macaíba.

Rossana Barbosa disse que vai anular o voto em 27 de outubro, "teclando" o 13 para o governo do Estado e 13 para presidente da República.

Para a vereadora, não há como subir no palanque de adversários históricos do PT em Macaíba, como a ex-prefeita Odiléia Costa. "Assim não dá, temos de ver como fazer para conciliar a nossa posição, o nosso trabalho local."

Já o vice-presidente da Câmara Municipal de Parelhas e primeiro vereador a ser eleito pelo partido naquele município da região do Seridó, Francisco de Assis Medeiros, confirmou que vai acatar a decisão da Executiva Estadual de apoiar formalmente à ex-prefeita de Natal,, no segundo turno, mas admitiu a existência de "pequenas divergências internas" no PT parelhense.

Medeiros admitiu que existe a determinação dos militantes, mesmo seguindo a orientação partidária, de "não fazer campanha no palanque" da candidata do PSB.

Ele confirmou, também, que a questão seria tema de reunião, na noite de ontem, inclusive com a possibilidade de liberar os militantes para votarem como quiserem.
 

Tribuna do Norte