Notícias Eleições Maranhão


 boletim tempo SMS fale conosco  

Capa
Notícias
Candidatos
Estados
Jornal do Terra
Pesquisas
Transição 2002
Urna eletrônica
 Últimas eleições
2002
2000
1998
Outras Eleições

 Sites relacionados
TSE
TREs
Partidos

 Fale conosco
Escreva com críticas e sugestões
Maranhão
Segunda, 7 de outubro de 2002, 18h11 
Derrota de Cabral para Péres causa surpresa no AM
 
Últimas sobre Maranhão
» Sucessão estadual no Maranhão gera troca de acusações
» Maranhão registra maior índice de abstenção do País
» TRE-MA começa envio de urnas atento à abstenção
» José Reinaldo fará planejamento participativo no MA
Busca
Faça sua pesquisa na Internet:

As eleições no Amazonas revelaram algumas surpresas para o cenário nacional, após a divulgação do boletim totalizador dos votos no final da manhã. A primeira foi a derrota do senador Bernardo Cabral (PFL) para o senador Jefferson Péres (PDT), que levou a segunda cadeira do cargo pelo Amazonas. A outra grande surpresa foi a eleição do líder do governo no Congresso, Artur Virgílio Neto (PSDB), para a primeira vaga de senador. Ele obteve a maior votação no Estado, com 630 mil votos, superando até o candidato ao governo Eduardo Braga, que teve 566 mil votos e elegeu-se no primeiro turno. "Agora chegou minha vez", proclamou o governador eleito, após perder as duas últimas eleições.

Surpresa ainda maior foi a derrota do candidato José Serra (PSDB), que foi apenas o quarto no Amazonas, atrás de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Anthony Garotinho (PSB) e Ciro Gomes (PPS). A discrepância de votos entre a candidatura de Virgílio e a de Serra no Amazonas parece ter despertado o líder do governo para tentar reverter a péssima votação de seu candidato presidencial. "Vou me apresentar amanhã para começar a lutar para eleger Serra", destacou Virgílio.

A eleição no Amazonas ainda trouxe à tona pelo menos um fato curioso: o deputado federal Átila Lins (PFL), o terceiro mais votado do pleito, cravou uma marca histórica. Elegeu-se pela sétima vez consecutiva, sendo três como deputado estadual e quatro como federal.
 

JB Online