5 eventos ao vivo

Dilma diz que Aécio e Marina devem olhar "seus telhados"

Presidente diz que caso Petrobras é explorado eleitoralmente e afirma ter pedido detalhes para a Polícia Federal

8 set 2014
18h25
atualizado às 19h30
  • separator
  • comentários

A presidente e candidata à reeleição pelo PT, Dilma Rousseff, disse nesta segunda-feira que há uma exploração eleitoreira da investigação de um suposto esquema de lavagem de dinheiro e corrupção envolvendo a Petrobras. Em entrevista no Palácio da Alvorada, Dilma afirmou que os candidatos Marina Silva (PSB) e Aécio Neves (PSDB) “não podem esquecer seus telhados”.

<p>Dilma afirmou ter pedido ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que requisitasse informações sobre os envolvidos à PF</p>
Dilma afirmou ter pedido ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, que requisitasse informações sobre os envolvidos à PF
Foto: Fernando Diniz / Terra

“Hoje há (exploração eleitoreira). Até porque os dois candidatos não podem esquecer seus telhados. Eu não vou ficar aqui falando de ninguém, mas eles devem olhar seus telhados. O meu telhado tem a firme determinação na investigação. Então ele é um telhado cobertinho pela Polícia Federal investigando, Ministério Público com autonomia”, disse a presidente.

Reportagem da revista Veja do fim de semana informou que o ex-diretor da Petrobras, Paulo Roberto Costa, que está preso, delatou um esquema de corrupção na estatal. Segundo ele, 3% de contratos firmados entre a Petrobras e empreiteiras seriam repassados a políticos do PT, PMDB e PP. Entre os citados estão os presidentes da Câmara e do Senado, Henrique Eduardo Alves e Renan Calheiros, além do ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Todos negam as acusações.

Dilma disse ter pedido ao Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, para tentar obter, junto à PF, detalhes da denúncia contra o ministro. O ex-diretor da Petrobras prestou depoimento na possibilidade de receber redução de pena, e o processo tramita em sigilo. Segundo Dilma, a primeira resposta da corporação foi insuficiente.

“Se falarem para você que tem um problema em sua casa, você vai querer saber o que tem. Disseram que tem um problema dentro da Petrobras, o problema está sendo investigado. Agora falaram que tem um problema no governo, e eu preciso saber quem, como, onde e por quê”, disse.

Dilma disse que a ordem dada a Cardozo é para procurar o Ministério Público e o Supremo Tribunal Federal (STF), caso a PF não dê respostas suficientes.

Rossetto na campanha
Dilma chamou de "mentira" a informação de que a entrada de Miguel Rossetto na campanha teria sido motivada pelo escâdalo. O petista deixou o Ministério do Desenvolvimento Agrário nesta segunda-feira para ajudar na corrida pela reeleição.

"Isso é uma mentira, uma inverdade. O Rossetto está na coordenação de campanha porque foi decidido antes desse evento. Ele é experimentado, foi vice-governador do Rio Grande do Sul. Ele é muito próximo de mim", disse.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade