Alagoas

Segunda, 29 de dezembro de 2008, 20h51 Atualizada às 22h23

AL: após morte de vice, prefeito eleito pede segurança ao Estado

  • Notícias

Odilon Rios
Direto de Maceió

O prefeito eleito da cidade de Satuba, a 25 km de Maceió (AL), Cícero Ferreira da Silva (PCdoB), conhecido como Titor, pediu nesta tarde ao governador do Estado, Teotonio Vilela Filho (PSDB), garantias de vida para não ser assassinado no dia de sua posse, em 1º de janeiro. O vice dele, Célio Gomes da Silva, foi assassinado no sábado com vários disparos de pistola 9mm, uma arma de uso restrito.

Depois da morte do aliado político, Titor e a família deixaram Satuba. Todos estão em casas diferentes, espalhadas pelo Estado. "Depois do que aconteceu com Célio, tudo pode acontecer. Por isso, peço apoio do governo para resguardar minha vida e a vida da minha família", disse.

Na reunião com o governador, acompanhada do secretário de Defesa Social, Paulo Rubim, Titor disse ter recebido duas ameaças de morte de um deputado estadual, que está afastado por determinação da Justiça alagoana, acusado de desviar R$ 300 milhões dos cofres da Assembléia Legislativa.

Durante a campanha, um dos candidatos a prefeito também teria ameaçado Titor. O caso foi comunicado à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e à Polícia Federal.

De acordo com o secretário de Defesa Social, a polícia investiga a possibilidade de crime político. "Temos de avaliar se o Titor merece segurança particular, porque se todos pedirem proteção se acharem que estão sendo ameaçados, teremos de atender os 102 prefeitos. Estamos trabalhando com todas as hipóteses, desde assalto até crime de mando", disse o secretário.

Célio Gomes da Silva chegou a ser preso no dia 6 de dezembro por porte ilegal de arma e crime ambiental. Ele também era acusado de homicídio e envolvimento com roubo de carga. Por meio de sua assessoria, o governador disse que o prefeito terá segurança de homens da Polícia Militar.


Especial para Terra