Salvador (BA)

Terça, 9 de dezembro de 2008, 18h52 Atualizada às 19h12

Salvador: prefeito anuncia extinção de 6 secretarias

  • Notícias

O prefeito reeleito de Salvador, João Henrique Carneiro, anunciou que enviará para Câmara de Vereadores uma proposta de extinção de seis das 17 secretarias municipais. A expectativa é gerar uma economia anual de R$ 40 milhões com a redução de custos.

De acordo com a assessoria da prefeitura, a nova estrutura planejada contempla todas as atividades dos 37 ministérios da República, o que pode facilitar a captação de recursos federais. De acordo com o prefeito, as secretarias que serão extintas são: Habitação; Governo; Desenvolvimento Social; Economia, Emprego e Renda; Esporte Lazer e Entretenimento; e Promoção da Cidadania.

Também serão extintas as secretarias extraordinárias de Relações Internacionais (Secri) e de Assuntos Estratégicos, além de sete subsecretarias e outros órgãos da administração indireta.

O prefeito anunciou a criação da Secretaria de Planejamento, Tecnologia e Gestão (Seplag), que incorporará a Secretaria de Administração; a Secretaria do Trabalho, Assistência Social e Direitos do Cidadão (Setad), que será uma fusão das secretarias de Desenvolvimento Social, Economia Emprego e Renda e Promoção da Cidadania; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano, Habitação e Meio Ambiente (Sedham), que absorverá a Secretaria de Habitação e também a área de Desenvolvimento Econômico da Agência Municipal do Desenvolvimento Econômico de Salvador (Adesa); a Casa Civil, que ocupará a função da Secretaria de Governo; e a Secretaria da Reparação e Políticas para as Mulheres.

De acordo com a proposta de João Henrique, serão mantidas as seguintes secretarias: Educação e Cultura, que absorve a Secretaria Municipal de Esportes e Lazer (SMEL); Secretaria Municipal da Saúde (SMS); Secretaria Municipal da Fazenda (Sefaz); Secretaria Municipal de Serviços Públicos (Sesp); Secretaria Municipal de Transportes e Infra-estrutura (Setin); e Secretaria Municipal da Comunicação Social (Secom).


Redação Terra