Eleições 2008

Sexta, 31 de outubro de 2008, 04h01

Paes quer replicar projetos bem sucedidos de SP

  • Notícias

Prefeitos eleitos do Rio e de São Paulo deixaram de lado a tradicional rivalidade entre cariocas e paulistanos e demonstraram total sintonia ontem, durante uma entrevista à Rádio BandNews. Eduardo Paes (PMDB) surpreendeu ao contar desejo de replicar por aqui projetos bem sucedidos por lá: "queremos copiar tudo de bom que acontece em São Paulo".

Entre elogios e demonstrações de amizade com Gilberto Kassab (DEM) - com quem dividiu espaço na Câmara dos Deputados, em Brasília -, Paes anunciou que pretende implantar versões cariocas do 'Cidade Limpa', que retirou os outdoors da capital paulista, e da 'Virada Cultural', com 24 horas de programação cultural em diversos bairros.

"Fiquei impressionado de como mudou a cidade depois dessa proposta de limpeza visual. Aqui no Rio tem publicidade brigando com a vista do Cristo Redentor. É uma agressão absurda. Ao longo do processo eleitoral assumi esse compromisso. Em algumas áreas da cidade, mais degradadas, a publicidade até acaba ajudando. Mas existem corredores em que ela briga com a paisagem", explicou Paes, que não explicou quais os bairros poderiam abrigar a 'Virada' carioca.

Mas, para a tranqüilidade dos motoristas cariocas, Paes descartou copiar outra iniciativa, esta muito polêmica entre os paulistanos: o rodízio de carros. O prefeito eleito do Rio disse que, apesar de reconhecer o problema do trânsito na cidade, ainda vê outras alternativas para melhorá-lo. "Comparando com São Paulo, o problema aqui é bem menor. A princípio não implantarei rodízio. O fundamental é melhorar a operação do trânsito, fazer investimento em transporte de massas", explicou.

A saia-justa ficou por conta da pergunta do apresentador Ricardo Boechat sobre o boato de que o senador Marcelo Crivella (PRB) assumiria a Secretaria de Urbanismo. "Não será meu secretário de Urbanismo nem de qualquer coisa", disse, negando que tenha havido essa conversa em qualquer momento. "Ele me apoiou no 2º turno, o que me honrou muito. As eleições acabaram. Vamos ter um secretariado de altíssima qualidade. Crivella será parceiro importante do Rio de Janeiro no Senado para trazer recursos e defender os interesses da cidade".

Kassab acha 'natural' final da Copa no Rio
Nem a disputa para ser sede da final da Copa do Mundo de 2014 quebrou o clima de harmonia entre os alcaides: "o Rio tem sua tradição no futebol e o direito histórico de escolher entre a abertura e a final. São Paulo tem condição de fazer a abertura, mas cabe ao Rio definir se prefere sediar a abertura ou a final", assumiu Gilberto Kassab.

Demonstrando consenso em relação ao assunto, Eduardo Paes explicou ser "o mais óbvio" que as duas cidades sejam palcos das duas partidas mais importantes da competição.

Ainda não há definição sobre quantos e quais estados vão sediar as partidas. A CBF quer 12, mesma quantidade da Copa da Alemanha, mas a Fifa prefere 10 cidades-sede para os jogos. Além de São Paulo e Rio, Belo Horizonte, Porto Alegre, Belém, Recife e Fortaleza possuem estádios com capacidade para mais de 60 mil pessoas e são fortes candidatas para palco de partidas. Ainda na manhã de ontem, Paes e o governador Sérgio Cabral participaram de cerimônia de adesão da rede hoteleira à candidatura do Rio às Olimpíadas de 2016.

Ruas sem outdoor e 24h de espetáculos
Um dos projetos mais bem sucedidos da gestão de Gilberto Kassab à frente da prefeitura de São Paulo, o 'Cidade Limpa' reduziu a poluição visual na maior capital da América Latina. O projeto de lei que entrou em vigor em janeiro do ano passado retirou das ruas outdoors e painéis eletrônicos.

No Rio de Janeiro, já existe lei semelhante, que veda a instalação de propagandas perto da entrada de túneis, pontes, viadutos e passarelas; na orla marítima e nas encostas de morros. Este ano, Cesar Maia encaminhou à Câmara de Vereadores projeto de lei para proibir colocação de outdoors no Centro Histórico do Rio. Outro projeto que tramita na Câmara, apresentado pelo vereador Paulo Cerri (DEM), prevê a retirada de placas, banners e qualquer tipo de propaganda das ruas dos bairros de Copacabana, Barra da Tijuca e Centro, além das linhas Amarela e Vermelha.

Outra iniciativa paulista que pode ganhar uma versão carioca é a Virada Cultural, iniciada na gestão de José Serra. São 24 horas ininterruptas de atividades culturais em diversos bairros da cidade. A edição deste ano teve 5 mil artistas em 800 atrações, entre peças teatrais, shows de artistas famosos, espetáculos de balé e apresentações pirotécnicas.


O Dia