Eleições 2008

Quinta, 30 de outubro de 2008, 03h52

Lula promete a Paes liberar R$ 116 mi para obras

  • Notícias

Com expectativa de iniciar o mandato com o caixa baixo, o prefeito eleito do Rio, Eduardo Paes, em visita ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva juntamente com o governador Sérgio Cabral, saiu do Palácio do Planalto com uma boa notícia. Lula prometeu liberação imediata de R$ 116 milhões para investir em obras importantes no Rio. Os recursos virão de emendas da bancada fluminense que ainda não tinham saído dos cofres da União.

Paes pediu a Lula a inclusão do Complexo da Penha entre as comunidades beneficiadas pelo Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). E também que o presidente atue junto à Companhia Docas, para que a empresa, proprietária da área e dos galpões do Porto do Rio, estabeleça parceria com a futura administração municipal a fim de promover a revitalização de toda a Zona Portuária.

Além disso, Paes e Cabral também pediram recursos para ampliação da Via Light, que vai cruzar toda a Baixada Fluminense e Madureira, chegando ao Centro do Rio. Ao empreendimento serão destinados inicialmente R$ 20 milhões. Para a Linha 3 do metrô, ligando Niterói a Itaboraí, o valor previsto inicialmente foi dobrado, passando para R$ 60 milhões.

"Já temos os recursos para a Linha 3. Dobrou o valor e a obra pode começar ainda este ano", disse o governador. À Linha 4 (Barra-Centro) do metrô serão destinados R$ 16 milhões para início do projeto.

Os R$ 20 milhões restantes do total de emendas da bancada poderão ser usados pelo governador e pelo prefeito eleito, segundo o deputado Hugo Leal (PSC), para a inclusão da Penha nas lista de comunidades que receberão melhorias urbanísticas.

"Viemos agradecer ao presidente. A população entendeu a mensagem de que nós estaríamos revertendo um quadro de isolamento político no Rio. Hoje se inicia uma nova fase da história política", discursou Paes. Para a Zona Portuária, o prefeito eleito afirmou que não é preciso grande investimento financeiro, mas vontade política. "Com a sociedade de propósito específico, vamos transformar a área com habitações, comércio e gastronomia", planeja Paes.

PAC em favelas da Penha
O projeto apresentado por Eduardo Paes e Sérgio Cabral ao presidente Lula para reurbanizar o Complexo da Penha prevê investimentos de até R$ 1 bilhão. A previsão é que 120 mil pessoas sejam beneficiadas nas comunidades Vila Cruzeiro, Vila Cascatinha, Parque Proletário, Merendiba, Caixa d'Água, Caracol, Chatuba, Morro da Fé, Caracol, Sereno e Morro da Paz. O governo do estado já vem tentando desde o fim do ano passado incluir a região entre as comunidades beneficiadas com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do governo federal, que, na cidade, já promove obras, em ritmo lento, na Rocinha, Pavão-Pavãozinho e complexos do Alemão e Manguinhos.

O plano de intervenções elaborado pela Empresa de Obras Pública do Estado (Emop) prevê ainda a construção de um teleférico, com cinco estações e conexão com a estação de trem. O sistema também será interligado ao teleférico que está começando a ser erguido no Alemão.

No projeto apresentado também constam a instalação de programas sociais nas comunidades beneficiadas; obras de infra-estrutura, principalmente instalações de água, esgoto e drenagem; alargamento de ruas; contenção de encostas e a ampliação do complexo esportivo da Vila Cruzeiro.


O Dia