Porto Alegre (RS)

Terça, 28 de outubro de 2008, 14h49 Atualizada às 16h09

Fogaça deverá ter apoio de 70% da Câmara em Porto Alegre

  • Notícias

Daniela Uequed
Direto de Porto Alegre

O prefeito reeleito de Porto Alegre (RS), José Fogaça (PMDB), deverá contar com cerca de 70% da Câmara Municipal para administrar a capital gaúcha. Das 36 vagas, 25 serão ocupadas por aliados políticos.

O partido de Fogaça foi o que mais cresceu, aumentando sua bancada de quatro para seis vereadores. Outros nove parlamentares estarão na base do governo.

O prefeito têm como aliados o PDT e o PTB com cinco vagas cada um. O PP, PPS, DEM, PMN e PSDB se integraram à campanha no segundo turno. O PP obteve quatro cadeiras, o PPS três e o PSDB duas.

O prefeito afirmou que: "a decisão do PDT permitiu ao PMDB maior solidez, maior convicção e maior segurança para a sustentação do projeto. Isso depois se consolidou definitivamente quando o PTB decidiu unir-se a nós para constituir, pela primeira vez na história da cidade, uma aliança que recupera historicamente uma das mais profundas e mais enraizadas vertentes políticas desta cidade", afirmou, numa referência ao trabalhismo.

No segundo turno, Fogaça também levou para o seu lado outras cinco siglas . "Não fizemos exigências, não fizemos imposições a eles", afirmou. "Um projeto que não tem apoio de partidos é um projeto que não tem sustentação e, portanto, não deve continuar", completou.

Quatro legendas que tinham parlamentares - PC do B, DEM, PL e PSL - acabaram sem representantes, enquanto o PRB - aliado do PT nas eleições municipais - estreou na Câmara. O Psol estréia com dois vereadores. PSB e PR têm um parlamentar cada.

O PT, que perdeu uma cadeira, continua sendo a maior bancada, agora com sete vereadores.


Redação Terra