Florianópolis (SC)

Segunda, 27 de outubro de 2008, 23h09 Atualizada às 23h17

Presidente do PMDB-SC: Amin está "morto e enterrado"

  • Notícias

Fabrício Escandiuzzi
Direto de Florianópolis

O ex-governador de Santa Catarina Eduardo Pinho Moreira, presidente do diretório estadual do PMDB, destacou que a eleição de Dário Berger em Florianópolis teria representado o fim da carreira política de Esperidião Amin (PP).

"Jogamos uma pá de cal no Amin. Ele está morto e enterrado", disse Pinho Moreira, ao participar de uma coletiva na residência oficial do governador Luiz Henrique da Silveira (PMDB). "Foi uma eleição duríssima, mas com reflexos muito positivos para nossa coligação", analisou.

O presidente peemedebista preferiu adotar a cautela ao analisar as declarações do governador de que Dário Berger estaria se credenciando para a disputa do governo estadual em 2010 após obter 129 mil votos no segundo turno.

"É muito cedo para falarmos nisso, temos dois anos pela frente e muita coisa pode acontecer", disse. "O importante é que jogamos uma pá de cal no Amin ao vencermos em Florianópolis e ampliamos nossa atuação com os partidos da base aliada".

A reportagem entrou em contato com o candidato derrotado do Partido Progressista, que não foi localizado para se pronunciar sobre as declarações de Moreira.


Especial para Terra