Teresina (PI)

Segunda, 27 de outubro de 2008, 20h59 Atualizada às 21h39

Presidente da Câmara de Teresina deve ser escolhido em dezembro

  • Notícias

Carlos Rocha
Direto de Terezina

A eleição que definirá a nova presidência da Câmara de Vereadores de Teresina, que deverá ocorrer apenas em dezembro, está dividindo os vereadores eleitos, afirma a vereadora Teresa Brito (PV), que concorre à vaga como sendo da base aliada do prefeito reeleito, Silvio Mendes (PSDB). Ela ressaltou que as conversas entre os candidatos à presidência da Casa estão ocorrendo. "Estamos ampliando cada vez mais as conversas, mas não queremos divulgar porque está distante e vamos precisar de mais reuniões para definir".

A partir do resultado do dia 5 de outubro, a base do prefeito Mendes ficou composta por 13 vereadores, sendo seis do PSDB, dois do PV e PTB; PRTB, DEM, PP e PTC com um vereador cada. Já na oposição ficaram oito parlamentares, sendo que PMDB e PSB ficaram com dois vereadores cada e PDT e PRB com um parlamentar cada um. Com isso, os tucanos reivindicam a tese de que têm direito a presidência da Câmara por terem a maior bancada.

A respeito de quando haverá uma definição sobre o assunto, a parlamentar ressaltou que um acordo só será alcançado em dezembro. "O mês de dezembro será quando acontece a definição. Querendo ou não é importante que a Mesa seja composta a partir do consenso", afirmou Teresa Britto, que além do apoio do prefeito está buscando conquistar o apoio também da oposição.

A vereadora acredita ainda na possibilidade de um consenso em torno da escolha do novo presidente da Câmara de Vereadores, mesmo com a iniciativa dos vereadores eleitos pelo PSDB de que um tucano deve ocupar a presidência da casa. "O que pudermos fazer para evitar um confronto será feito porque isso poderá prejudicar os trabalhos", destacou Teresa.

Questionado a respeito de quem votaria para dirigir o legislativo municipal, Firmino Filho (PSDB) saiu pela tangente e não deu pistas sobre sua candidatura. "Votaria no melhor nome para a Câmara. O partido possui bons nomes", destacou o vereador eleito.

Apesar de não comentar sobre sua candidatura ou apoio a outro nome, Firmino Filho aponta que o novo presidente da Câmara deve sair do PSDB. A explicação fica por conta do partido ter eleito seis vereadores e, portando, possuir a maior bancada da Casa.


Especial para Terra