Eleições 2008

Segunda, 27 de outubro de 2008, 17h17 Atualizada às 17h35

PT saiu fortalecido das eleições, diz secretário nacional

  • Notícias

A Executiva Nacional do PT reúne-se nesta tarde para fazer uma avaliação do desempenho do partido nas eleições municipais encerradas ontem. Ao chegar para a reunião, o secretário nacional do partido, deputado José Eduardo Cardozo (SP) disse que o PT saiu muito bem desse processo eleitoral.

"Tivemos um crescimento de mais de 30% do ponto de vista da eleição municipal anterior. Conquistamos cidades importantes e perdemos também cidades importantes, mas o PT saiu fortalecido. Foi o partido que mais reelegeu prefeitos o que mostra o reconhecimento da população às nossas políticas de governo. Portanto, saímos muito bem da eleição e aplainamos agora o período em que vamos buscar construir nossa candidatura para suceder o presidente Lula (Luiz Inácio Lula da Silva)", disse.

O secretário informou também que, para a escolha do sucessor do presidente Lula, haverá diálogo, com todos os partidos aliados "com absoluto respeito, ouvindo e dialogando, e ao final aquele que tiver o candidato mais viável é que estará representando esse conjunto de forças".

Cardoso disse ainda considerar absolutamente normal que o PMDB reivindique o cargo. Lembrou, no entanto, que o PT tem todo o espaço para a construção de uma candidatura que represente "o ato de sustentação do Presidente Lula. Nós preferimos, com todo o respeito aos nossos aliados, que a candidatura seja do PT. Vamos dialogar com todos, mas vamos buscar construir esse processo com um candidato petista."

Ainda segundo Cardoso, o PT saiu coeso do processo eleitoral. Segundo ele, o partido vai inteiro e unido para a disputa presidencial de 2010.

Reeleições
Sobre o grande número reeleições registradas no País, Cardoso afirmou que, na maioria dos municípios ela se deu em função do clima político que vive o Brasil. "O bom clima político que temos hoje favorece quem está no governo e claro que os prefeitos dentro dos partidos de oposição ou da base de apoio ao governo saíram muito favorecidos desse processo político. Isso é absolutamente natural. Se fosse um momento em que o governo federal estivesse mal, refletiria para todos os prefeitos", afirmou.


Agência Brasil