Macapá (AP)

Segunda, 27 de outubro de 2008, 17h04

AP: prefeito eleito diz que não intervirá em eleições da Câmara

  • Notícias

Mario Tomaz
Direto de Macapá

O prefeito eleito de Macapá (AP), Roberto Góes (PDT), disse que não vai interferir nas eleições para a presidência da Câmara de Vereadores. Segundo ele, "os vereadores estão abertos para escolher o seu presidente". Góes comentou que a intervenção no Legislativo pode causar problemas ao Executivo.

"Eu já vivi este momento e sei que se interferirmos na eleição poderemos causar problemas futuros para este nosso projeto de trabalho", ressaltou o pedetista.

A afirmação foi feita baseada na nova composição da Câmara de Vereadores e pelo fato de Góes ter como vice a atual presidente da Câmara de Macapá, Helena Guerra. Os aliados do prefeito eleito somam 12 votos, contra dois da oposição (Cristina Almeida, do PSB e Clécio Vieira, do Psol).

Os vereadores eleitos Carlos Murilo, do PHS, e Carli Jhone, do PP, estão indecisos quanto o apoio ao prefeito. Jhone, porém, foi preso pela Polícia Federal um dia antes das eleições do primeiro turno com material de campanha e dinheiro.

Os vereadores eleitos Rilton Amanajás (PSDB) e Acácio Favacho (PMDB) se manifestaram sobre a possibilidade de serem candidatos à presidência da Câmara. Eles são jovens e tiveram boa votação nas últimas eleições. Acácio, inclusive, conquistou o primeiro lugar entre os candidatos a vereador em Macapá.

Rilton Amanajás disse da alegria de saber da possível proposta de presidência por parte de alguns vereadores e espera conversar com cada um deles sobre a organização da mesa.

Acácio Favacho informou que ainda não decidiu se vai ou não estar na disputa, mas está pronto para defender os interesses da comunidade na Câmara. "Particularmente, só irei confirmar se serei candidato se houver apoio de vários vereadores, caso contrário vamos decidir pela vontade da maioria do nosso grupo", comentou.


Especial para Terra