Florianópolis (SC)

Segunda, 27 de outubro de 2008, 16h34 Atualizada às 17h24

Berger agradece a governador de SC e diz não pensar em 2010

Dário Berger (PMDB) (esq.) agradeceu do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, pelo empenho em sua campanha
Dário Berger (PMDB) (esq.) agradeceu do governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, pelo empenho em sua campanha
Fabrício Escandiuzzi/Especial para Terra

Fabrício Escandiuzzi
Direto de Florianópolis

O prefeito reeleito de Florianópolis, Dário Berger (PMDB), agradeceu ao governador de Santa Catarina, Luiz Henrique da Silveira, pelo empenho em sua campanha no segundo turno das eleições. O peemedebista ainda garantiu que cumprirá o seu mandato integralmente até 2012 e não pensa em se candidatar nas eleições de 2010.

Nesta tarde, na Casa da Agronômica, residência oficial do governador, Berger destacou que a atuação de Luiz Henrique para aglutinar as lideranças políticas no segundo turno foi "essencial" para a sua vitória. No segundo turno, o candidato recebeu a adesão do PPS, PV, PDT e DEM. "Foi muito importante, pois reeditamos na campanha municipal a aliança existente no âmbito estadual", afirmou.

Dário Berger vai cumprir o seu quarto mandato consecutivo como prefeito. De 1997 a 2003, ele administrou a cidade de São José, localizada na região metropolitana de Florianópolis.

Apesar de ser cotado pelo próprio Luiz Henrique da Silveira como um dos principais nomes do PMDB para a campanha do governo do Estado, o prefeito reeleito tratou de garantir que seu objetivo é administrar a cidade.

"(A eleição de) 2010 passa longe de minha cabeça, não está nos meus planos", disse. "O meu grande objetivo é cuidar de Florianópolis pelos próximos 4 anos pois foi isso que os eleitores decidiram", afirmou.

O governador já anunciou que será candidato ao Senado em 2010 e que deixará o cargo no início do ano eleitoral para entrar em campanha. Ele apontou o prefeito reeleito como um dos nomes fortes do partido para concorrer ao governo. Mas, aos 51 anos, Dário Berger se considera ainda muito "novo" e diz que, no momento, só pensa em cumprir seu novo mandato como prefeito.

Projetos e investimentos
Berger deve descansar por uma semana e, depois, pretende realizar algumas mudanças no secretariado, até o próximo dia 15 de dezembro. "Alguns novos nomes irão surgir, dentro das legendas que me apoiaram neste segundo turno", destacou.

Como projetos novos, o prefeito anunciou a construção do elevado do Trevo da Seta e a terceira pista da EC 405, "onde está configurado um dos maiores e mais crônicos problemas da cidade".

Na área de ciência e tecnologia, Berger pretende aproveitar a parceria com o governo do Estado para a implantação definitiva do Sapiens Park, uma área dotada de infra-estrutura para instalação de empresas de tecnologia, aliado ao desenvolvimento turístico.

O governador Luiz Henrique aproveitou a oportunidade para anunciar investimentos maciços do governo do Estado no programa de obras da capital catarinense. Entre os principais projetos anunciados pelo governador, está a desativação do presídio do bairro da Trindade e a construção no local de um complexo com duas torres de oito andares para abrigar todas as secretarias do governo estadual, o que lhe permitiria transferir o atual prédio da Secretaria de Fazenda para a prefeitura, "para que ela possa ter uma sede digna".

Dário Berger, por sua vez, anunciou como prioridade imediata a continuidade do plano de obras que vinha realizando e que, segundo sua própria avaliação, foi a principal razão de sua vitória sobre Esperidião Amin (PP).

Rival
O governador Luiz Henrique comentou a vitória de Berger contra seu adversário histórico em Santa Catarina, o ex-governador Esperidião Amin (PP). "O 11 é freguês", brincou, referindo-se às três derrotas consecutivas do progressista em eleições. "O quadro político no nosso Estado está desenhado e a nossa aliança sai como a grande fortalecida nas eleições."

Amin também falou nesta manhã sobre o resultado do segundo turno da eleição para a prefeitura, em que perdeu por 28 mil votos para Berger (129.969, 57,68%, contra 95.369, 42,32%).

Apesar da intensa troca de acusações com o adversário durante a campanha, Amin foi elegante na derrota, reconheceu a soberania das urnas e desejou uma boa administração ao prefeito reeleito.

Com informações da Agência Brasil


Especial para Terra