São Paulo (SP)

Domingo, 26 de outubro de 2008, 20h45 Atualizada às 22h54

Especialistas: derrota não é o fim da carreira de Marta

  • Notícias

Especialistas afirmam que o futuro político de Marta Suplicy (PT), que perdeu as eleições para a prefeitura de São Paulo, é longo e que a derrota abala a carreira da petista apenas em um primeiro momento.

"Perder sempre influencia uma trajetória política. A carreira dela daqui para frente será de acordo com os rumos que Marta tomar", explicou o professor de ciência política da Fundação Escola de Sociologia e Psicologia de São Paulo, Rui Tavares Maluf.

Segundo o professor, Marta pode disputar as eleições de 2010 buscando uma vaga na Câmara dos Deputados para ganhar força para disputar novamente uma eleição majoritária. "Democracia representa alternância e esse processo é esperado, mas não significa o fim da carreira dela, muito pelo contrário", disse.

Para a professora de História Contemporânea da Universidade de São Paulo (USP) e de História da Cultura da Universidade Presbiteriana Mackenzie, Maria Aparecida Aquino, a campanha de Marta pode ser considerada positiva mesmo com a derrota.

Ainda segundo a especialista, Marta teve cerca de 40% dos votos válidos do maior colégio eleitoral do País. "São Paulo é um dos maiores colégios eleitorais do mundo e não podemos desprezar seus votos. Ela não sai com cacife para disputar a Presidência, mas tem potencial para outras grandes disputas", completou.

A professora da USP ressalta que Marta encerrou sua participação nestas eleições com um discurso inteligente e pertinente: "ela foi muito elegante ao chamar ao eleitor a responsabilidade de cobrar e fiscalizar o poder público. O povo pensa que só votar basta, mas as pessoas precisam participar mais da vida política, que só o voto não resolve. A população precisa pensar nisto, agora que mais uma eleição acaba e um novo ciclo começa".


Agência Brasil