São Luís

Domingo, 26 de outubro de 2008, 19h39 Atualizada às 21h44

João Castelo é eleito prefeito de São Luís com 55,84%

  • Notícias

Laryssa Borges
Direto de Brasília

O ex-governador do Maranhão João Castelo (PSDB) foi eleito prefeito de São Luís (MA) pela primeira vez, com 55,84% dos votos válidos. Flávio Dino (PCdoB) obteve 44,16% dos votos válidos. Dados do TSE apontam ainda que 1,24% do eleitorado em São Luís votou em branco, ao passo que 1,96% anulou o voto.

Ao ser eleito, João Castelo, que tem Helena Dualibe (PSB) como vice na coligação São Luís Merece Mais, quebra uma seqüência de três mandatos do Partido Democrático Trabalhista (PDT). O PDT venceu as eleições majoritárias municipais em 1996 e 2000, com o atual governador do Maranhão, Jackson Lago, e em 2004, com Tadeu Palácio. Palácio assumiu a prefeitura em 2002, em substituição a Lago, que se candidatou ao governo do Estado. No entanto, não conseguiu emplacar seu sucessor.

Clodomir Paz (PDT) não decolou sua campanha em nenhum momento, ficando sempre abaixo do patamar dos 10%. O maior problema de Clodomir na campanha foi a divisão do partido. Ele conseguiu apenas o apoio definitivo de Tadeu Palácio, enquanto o governador Jackson Lago jamais manifestou sua intenção de voto, alegando que também estavam na disputa candidatos com quem já fez alianças históricas, como João Castelo, Flávio Dino e Cléber Verde (PRB).

João Castelo, por sua vez, liderou as pesquisas desde o começo da campanha eleitoral. O tucano, que havia perdido a eleição para Tadeu Palácio quatro anos atrás, ainda em primeiro turno, entrou na disputa utilizando-se de sua longa experiência política, já que foi governador do Maranhão, senador e deputado federal em quatro mandatos.

Diante de uma disparada nas pesquisas do primeiro turno, os adversários tentaram até impugnar sua candidatura. As coligações encabeçadas por Clodomir e por Raimundo Cutrim (DEM) denunciaram que João Castelo pagou multa eleitoral depois do registro da candidatura, fato que o tornaria inelegível. A Justiça, no entanto, indeferiu o caso, mantendo o candidato tucano no páreo.

A convenção que protocolou a candidatura de João Castelo ocorreu no fim de julho. Ele foi aclamado pela cúpula tucana, sendo mais uma vez definido como o nome forte do PSDB para a prefeitura. Outra possibilidade do partido era o deputado federal Pinto da Itamaraty, que terminou com a função de coordenador da campanha de João Castelo.


Especial para Terra