Belo Horizonte (MG)

Domingo, 26 de outubro de 2008, 19h23 Atualizada às 23h18

Márcio Lacerda é eleito prefeito em Belo Horizonte

Aécio Neves (PSDB) faz pronunciamento ao lado do atual prefeito, Fernando Pimentel (dir.) e do prefeito eleito, Márcio Lacerda (esq.)
Aécio Neves (PSDB) faz pronunciamento ao lado do atual prefeito, Fernando Pimentel (dir.) e do prefeito eleito, Márcio Lacerda (esq.)
Omar Freire/Imprensa MG/Divulgação

Laryssa Borges
Direto de Brasília

Apoiado pelo governador Aécio Neves (PSDB) e pelo prefeito Fernando Pimentel (PT), Márcio Lacerda (PSB) foi eleito prefeito de Belo Horizonte. Lacerda registrou 59,12% dos votos válidos, enquando Leonardo Quintão (PMDB) aparece com 40,88%. O número de eleitores que votou em branco foi 3,52%, enquanto 7,41% anularam o voto.

Lacerda, que conta como vice na chapa Roberto Vieira de Carvalho (PT), teve campanha marcada pelo apoio de duas grandes figuras políticas do Estado. Estiveram a seu lado em programas de TV e propagandas o governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), e o prefeito de Belo Horizonte, Fernando Pimentel (PT), em uma aliança bastante discutida na capital mineira.

Aos 62 anos, Lacerda, que comandou a Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais até maio deste ano, teve uma campanha que decolou apenas nos dois últimos meses.

O polêmico apoio de PSDB e PT à campanha de Lacerda foi o tema central da disputa mineira. Os partidos de esquerda, como o PSTU e o PCdoB, reprovaram a aliança, assim como o próprio PT, que teve alguns dissidentes partindo para o apoio à deputada Jô Moraes.

No primeiro turno, em contrapartida ao apoio do governador, que foi considerado uma grande alavanca para a ascensão de Lacerda, Jô tentou barrar a participação de Aécio Neves em programas de TV, mostrando apoio a Lacerda. Ela se baseou no fato de o PSDB não estar dentro da coligação encabeçada pelo PSB, mas teve o pedido rejeitado pela Justiça eleitoral.

A aliança em torno da candidatura de Lacerda começou a ser costurada em abril, quando o PT abriu mão de lançar um candidato próprio à prefeitura. Logo após indicar o candidato a vice-prefeito na chapa, o PT, inicialmente, vetou a entrada dos tucanos na coligação.

O clima, então, esquentou. O PSB queria formalizar a aliança com o PSDB para ter o governador Aécio Neves a seu lado, enquanto o PT só aceitava um apoio informal. Depois de diversas negociações, os socialistas lançaram oficialmente, no fim de junho, o nome de Lacerda como candidato à prefeitura, com o PT na coligação e com o apoio informal do PSDB.

A candidatura de Lacerda foi impulsionada por Aécio Neves. O socialista não tem uma carreira consolidada na política, fato que também foi bastante questionado por seus opositores. Em 2003, foi secretário-executivo do Ministério da Integração Nacional, na gestão de Ciro Gomes. Posteriormente, de abril de 2008, foi secretário do governo de Aécio Neves, quando teve seu nome lançado para a prefeitura.


Especial para Terra