Macapá (AP)

Domingo, 26 de outubro de 2008, 19h15 Atualizada às 21h11

Macapá: Góes é eleito prefeito com 51,66%

  • Notícias

Roberto Góes (PDT), da Coligação Nosso Forte é Macapá, está eleito prefeito da capital amapaense com 91.558 votos (51,66% dos votos validos). Camilo Capiberibe (PSB), da Coligação Frente pela Mudança, recebeu 85.659 votos (48,26% dos votos validos). Brancos somaram 1.513 (0,83%) e nulos, 3.945 (2,16%), com 100% das urnas apuradas.

Primo do governador amapaense, Waldez Góes (PDT), e no terceiro mandato consecutivo como deputado estadual, o pedetista tem como vice a vereadora macapaense e atual presidente da Câmara Municipal, Helena Guerra (DEM). Ele teve uma campanha marcada pelo apoio da maioria dos deputados estaduais e das principais lideranças do Estado, além da importante presença do senador Papaléo Paes (PSDB).

Com a maior arrecadação para campanha entre os sete candidatos ao cargo de prefeito de Macapá, com R$ 90.368,87, de acordo com os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o candidato da Coligação Nosso Forte é Macapá chegou a receber a acusação de que sua candidatura era favorecida pela máquina pública. Isto aconteceu após um episódio no qual Marília Góes - mulher do governador do Amapá e secretária de Inclusão e Mobilização Social do Estado, que teria pedido votos para ele em uma reunião com beneficiários de programas sociais oferecidos pelo Estado.

A campanha municipal macapaense também foi marcada por disputas judiciais entre dois candidatos e o Jornal do Dia sobre divulgações de pesquisas eleitorais e por um suposto atentado contra o candidato Joinville Frota (PSTU), que teve a sua casa atingida por um coquetel molotov, em 23 de agosto último.


Redação Terra