Macapá (AP)

Domingo, 26 de outubro de 2008, 14h22 Atualizada às 16h15

AP: Empatados nas pesquisas, candidatos votam em Macapá

  • Notícias

Mario Tomaz
Alcinéia Calvancanti
Direto de Macapá

Os candidatos à prefeitura de Macapá (AP), Roberto Góes (PDT) e Camilo Capiberibe (PSB), votaram nesta manhã na capital do Amapá. Góes votou às 10h10 na escola José de Anchieta, no bairro Santa Rita, e Capiberibe exerceu o dever cívico por volta das 11h, na escola Guanabara, centro da cidade. Os dois candidatos demonstraram otimismo e confiança na vitória.

O candidato do PDT chegou ao local de votação acompanhado da família e da vice, a vereadora Helena Guerra. Ele aproveitou para cumprimentar eleitores e agradecer a confiança depositada ao longo da caminha política. Disse ainda que o segundo turno é uma forma democrática de se trabalhar novas estratégias políticas de ação junto ao eleitor e se torna satisfatório quando se acredita em Deus e na virada.

Sobre a trejetória no segundo turno, Roberto Góes apenas agradeçeu e ressaltou a importância de todos os envolvidos em sua campanha. "Quero agradecer a todos que estiveram comigo nesta campanha e compartilharam comigo pensamentos positivos, voltados para o desenvolvimento de nossa capital e vestiram a nossa camisa", finalizou.

Já Cabiperibe votou acompanhado do vice Randolfe Rodrigues (PSOL), dos pais e da esposa. Ele disse que o fato de ter sido o mais votado no primeiro turno é "uma prova que Macapá quer mudança". O candidato ressaltou que apesar de seu adversário ter o apoio do governador, do prefeito, de 22 dos 24 deputados estaduais, seis dos oito deputados federais, e três senadores, está confiante na vitória. "O povo mostrou que quer mudança e hoje vai estar confirmando isso nas urnas", disse ele.

Como no primeiro turno, o clima é de tranqüilidade em Macapá. Menos de 20 pessoas foram presas até agora fazendo boca de urna. Das cerca de 600 urnas, apenas seis apresentaram problemas e foram imediatamente substituídas.

O fato inédito foi a prisão de três mesários. Um foi preso porque estava bêbado e os outros dois por estarem tentando conquistar o voto do eleitor na própria mesa. Denunciados por fiscais, foram presos pela Polícia Federal.

No primeiro turno o candidato Roberto Góes obteve 26% dos votos válidos contra 33% de Camilo Capiberibe. Duas pesquisas oficiais foram divulgadas na Capital confirmando empate técnico entre os dois candidatos, a última foi do Ibope com 45% para cada um dos participantes do pleito.


Especial para Terra