Cuiabá

Sábado, 25 de outubro de 2008, 21h50

TRE monta esquema para impedir compra de voto em Cuiabá

  • Notícias

As denúncias de compra de votos durante a campanha do segundo turno em Cuiabá, que levaram o Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso (TRE-MT) a limitar os saques em dinheiro nos bancos, deverão ser confirmadas amanhã durante a votação. "Temos certeza que vamos flagrar compra de votos", afirmou o coordenador da ouvidoria do TRE, Gilson Henrique do Carmo.

Por meio de um sistema de disque-denúncia eleitoral, a ouvidoria recebeu informações de que saques entre R$ 280 mil e R$ 420 mil foram realizados em instituições financeiras do Estado antes da proibição do tribunal, na última quinta-feira. "Boa parte do dinheiro utilizado para esse pagamento já foi retirado. Sabemos que o valor oferecido tanto por um candidato quanto por outro é de R$ 100 (por voto), em média", disse.

Um esquema especial foi montado para combater esse tipo de crime eleitoral e será reforçado amanhã. "Estamos passando as informações para os cartórios eleitorais, que manterão contato com a Polícia Federal e com a Polícia Militar", detalhou Carmo.

Os casos serão levados ao "cadeião", estrutura que será montada no Fórum da cidade para apurar casos de crime eleitoral durante o dia de votação. Carmo ressaltou que a confirmação da compra de votos pode resultar na perda de mandato do candidato eleito.

Além de compra de votos, abusos de propaganda eleitoral e falta de pagamento para cabos eleitorais estão entre as denúncias mais recebidas pela ouvidoria do TRE.

Na última semana, o número de atendimentos chegou a triplicar, segundo Carmo. "A expectativa de é que o domingo seja bastante agitado, principalmente porque é no dia da eleição propriamente dito que acontece a boca de urna", comentou. O serviço atenderá os eleitores cuiabanos de 7h às 18h deste domingo pelo número 0800-6478191.


Agência Brasil