Maranhão

Sábado, 25 de outubro de 2008, 10h50 Atualizada às 11h39

Cidade repete 1º turno com reforço de 360 homens

  • Notícias

Os eleitores da cidade de Benedito Leite (MA) terão amanhã um novo primeiro turno das eleições. O Tribunal Regional Eleitoral do Estado não validou o pleito do dia 5 de outubro depois da confirmação de que um grupo de moradores invadiu uma seção de votação e queimou 16 urnas eletrônicas. O município terá um reforço na segurança de ao menos 240 soldados do Exército e 120 da Polícia Militar, além das Polícias Civil e Federal. Embora o contingente seja grande para uma cidade com pouco mais de 5 mil habitantes, eles evitam falar em "operação de guerra".

"Não é uma operação de guerra, é uma operação normal, assim como nós atuamos em mais de 140 municípios na última eleição, vamos atuar em Benedito Leite com o mesmo enfoque. É para que a população se sinta segura e para evitar fatos lamentáveis como o que aconteceu no incidente do primeiro turno", disse o coronel Antônio Santiago, comandante do Exército no local.

O reforço na segurança foi classificado pela imprensa regional como "operação de guerra", já que até um helicóptero estará à disposição das autoridades no domingo, para necessidades eventuais. Entretanto, o uso do termo fez com que as autoridades frisassem que não estão no local para intimidar o eleitorado, mas porque, após o episódio do dia 5 de outubro foi exigida a presença do Estado.

"Eu estou aqui desde o dia 17 de outubro e o que eu tenho percebido na população em geral de Benedito Leite e, em especial, do povoado de Cocos, é que há uma normalidade depois que foi restabelecido tudo, cerca de 400 títulos cancelados e a inclusão dos três candidatos a vereadores. A população se encontra tranqüila e serena", reiterou o juiz eleitoral Silvio Suzart.

Os atos violentos começaram no povoado de Cocos, um distrito afastado cerca de 100 km da sede da cidade. A atuação da Justiça Eleitoral também foi reforçada. Oito juízes cuidarão dos locais de votação. Cada um ficará em um local, sendo que três deles ficam em Cocos e cinco, em Benedito Leite.

A apuração será feita no TRE Móvel, um ônibus do Tribunal Regional Eleitoral maranhense instalado no centro da cidade. "Estamos aqui com a convicção de que Benedito Leite pode dar um show no resultado eleitoral. É bom esclarecer que foi um fato episódico, e falo isso até em nome da comunidade, que está preocupada com uma imagem errônea que as pessoas podem ter de que é um município violento. Foram pessoas isoladas que, certamente, merecerão uma represália", defendeu o promotor eleitoral Fernando Meneses.

Com Meneses, também trabalharão outros sete promotores eleitorais. A maior parte das forças de segurança e dos servidores da Justiça Eleitoral vai embora na quarta-feira. A Polícia Militar deve manter um contingente após essa data. Até o momento, a corporação não registrou nenhum delito.

"A Polícia Militar, esses dias que está aqui, tem desempenhado seu papel e nenhuma ocorrência foi verificada de domingo para cá. Nós queremos que esse clima de tranqüilidade prevaleça durante todo o período eleitoral", afirmou o comandante da Polícia Militar, coronel Eduardo.

O acesso à cidade não é simples. Os aeroportos mais próximos são, no Maranhão, os de Imperatriz (distante cerca de 600 km) e de São Luís (a mais de 800 km), e o de Teresina, no Piauí (a cerca de 415 km), Estado com o qual o município faz fronteira. Da capital maranhense para a cidade, não há ônibus direto: é preciso ir até São Domingos do Azeitão, a 50 km, e seguir em transporte alternativo.

Para quase tudo, os beneleitenses precisam atravessar, de barco ou de balsa, para Uruçuí, no Piauí um trecho de cerca de 200 m sobre o rio Parnaíba é o que divide as duas cidades. Neste período de eleições, com as poucas hospedarias lotadas graças ao reforço na segurança, é só em Uruçuí que há hotéis disponíveis.

Ainda que muito próximos, os dois municípios são muito diferentes. Economicamente, Benedito Leite vive do que arrecada com o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) - cerca de R$ 2,7 milhões por ano - e da agricultura de subsistência.

Seu Produto Interno Bruto (PIB) é de R$ 11.340. Em Uruçuí, as grandes agroindústrias são responsáveis pela principal fonte de arrecadação, tem PIB de R$ 146.563 e 17 indústrias (extrativistas e de transformação). Com isso, enquanto o município maranhense sofre com a pouca infra-estrutura, o piauiense experimenta o progresso econômico.

Também é inevitável a comparação entre as cidades de Benedito Leite e São Domingos do Azeitão. Há até 12 anos, este último era um distrito do primeiro. Depois da emancipação, o ex-distrito tornou-se mais desenvolvido que a antiga cidade-sede, com postos de gasolina, bancos e vias de ligação com os demais municípios do Estado serviços que ou não existem ou são raros em Benedito Leite.


Agência Brasil