São Paulo (SP)

Sábado, 25 de outubro de 2008, 01h36 Atualizada às 01h59

Marta rebate Kassab: o mensalão começou com o PSDB

Marta rebateu insinuações quanto ao mensalão
Marta rebateu insinuações quanto ao mensalão
Marcelo Pereira/Terra

Leandro Calixto
Direto de São Paulo

A candidata à prefeitura de São Paulo Marta Suplicy (PT), logo após participar do debate da Rede Globo, na noite de sexta, disse que desconsiderou as provocações feitas por Gilberto Kassab, que tentava associar sua imagem ao episódio do mensalão. "O mensalão começou em Minas Gerais com o pessoal do PSDB, partido que é parceiro dele. Não tive nada com o mensalão", disse a petista

A petista também disse que sabia que o Partido dos Trabalhadores iria apresentar, no último dia do horário eleitoral, as cenas em que o prefeito Gilberto Kassab, chama de "vagabundo" um cidadão paulistano. "Isso é uma questão de marketing. Foram explicadas as razões e concordei. Sabia que ia ser exibida. Só não sei se vai ter um efeito prático", observou a candidata.

A petista também enfatizou que o cidadão estaria até hoje sofrendo com o episódio. "Me falaram que ele está com grave perturbação", detalhou.

Ela explicou que apresentou o suposto documento, no debate, sobre os paulistanos que são despejados pela prefeitura, para alertar a população sobre a forma de administrar São Paulo de Kassab.

Questionada pelos jornalistas porque estava tão emotiva nessas últimas semanas, Marta declarou: "gente, quando era prefeita, toda vez que eu saia do CEU, eu saia chorando".

Embora, esteja quase 20 pontos atrás do democrata nas pesquisas, a candidata ainda confia na vitória petista. "Espero reverter isso quando abrir a urna no dia 26. Minha candidatura tem muito mais a oferecer a cidade. Nossa candidatura é muito mais experiente e madura".


Especial para Terra